Policial

CASO ARISSON PEIXOTO

Laudo IML não aponta causa morte. Polícia descarta homicídio

10/10/2018 18H56

Laudo IML exclui homicídio como causa morte de Arisson Peixoto, segundo Polícia Civil
Arisson Peixoto desapareceu na noite de sábado (29), quando saiu de casa usando apenas uma bermuda, segundo a família (foto redes sociais)

O Instituto Médico Legal (IML) divulgou o laudo indicando que não foi possível determinar qual foi a causa da morte do servente de pedreiro Arisson Peixoto, 26 anos. O documento foi entregue oficialmente na quarta-feira (10) para a Polícia Civil e apresentado na terça-feira (9) para familiares da vítima.

Segundo o delegado-chefe da 7ª SDP, Osnildo Carneiro Lemes, o documento não comprovou qual foi a causa da morte, mas eliminou diversas possibilidades. “O laudo indicou que não havia lesões no corpo; não havia orifícios de entrada de projéteis de arma de fogo; sem dados de violência externa, ausência de ferimentos provocados por arma branca e ausência de fraturas da calota craniana, arcos costais, ossos longos e coluna vertebral, e também do osso hioide”, explicou o delegado.

Por causa do avançado estado de decomposição do corpo não foi possível colher líquidos para apurar se a vítima fez uso de entorpecentes antes de morrer.

O corpo de Peixoto foi encontrado na manhã do último dia 4, na estrada Juvenal, que liga Umuarama ao distrito de Lovat. A carteira com os documentos do jovem foram encontrados no bolso da bermuda.

Relembre o fato

Peixoto desapareceu por volta das 19h40 do dia 29 de setembro quando saiu de casa, no distrito de Lovat, usando apenas uma bermuda. Segundo a mãe, a agente de saúde, Liane Regina Santos, o jovem estaria ‘desesperado’ quando foi visto pela última vez.

Seu carro, um VW Gol prata foi encontrado na manhã do dia 1º de outubro com um vidro quebrado, as margens da PR-482, próximo ao Aterro Sanitário de Umuarama.