Policial

CASO TONY CLAYTON

Supervisor desaparecido de Pérola foi morto, diz jovem preso em Araruna

04/01/2019 18H22

CASO TONY CLAYTON PM prende em Araruna jovem com carro de supervisor desaparecido
O carro foi localizado na área rural a cerca de 5 km de Araruna na tarde de sexta-feira (4) (foto Rivaldo Saruê)

Campo Mourão – A Polícia Militar de Araruna prendeu na tarde de sexta-feira (4) um jovem de 24 anos com o carro do supervisor de vendas Tony Clayton Pereira, 35 anos. Em depoimento no começo da noite o homem preso disse que a vítima foi morta. Mas, até 19h30 ainda não havia indicado onde está o corpo, o que deve ocorrer na noite desta sexta-feira ou manhã de sábado.

O veículo, um Fiat Stillo prata esportivo estava escondido em meio a uma plantação de pinheiros, a cerca de cinco quilômetros de Araruna. O jovem não soube informar o paradeiro de Clayton, que continua desaparecido desde a madrugada do último dia 29 de dezembro. O detido e o veículo foram levados para a delegacia da Polícia Civil de Peabiru.

Em entrevista ao repórter Walter Pereira, do jornal Tribuna do Interior, de Campo Mourão, o cabo da PM Ezquias Paulo da Silva, que fez a prisão juntamente com o soldado Pedroso, contou que “Recebemos informações desde ontem que este carro estava na nossa região e iniciamos uma investigação”.

Ainda segundo a entrevista, o cabo Ezequias informou que inicialmente a polícia tinha informações de que o veículo estava coberto por uma lona na garagem de uma residência. “Hoje o suspeito sabendo de toda repercussão do caso resolveu esconder o carro”, falou. De acordo com a polícia, a residência onde o Stillo foi visto é do padrasto do jovem, que chegou à cidade há pouco tempo do estado de São Paulo.

Na entrevista, o cabo da PM contou que o acusado deixou o carro na casa do padrasto alegando que não tinha garagem em sua residência, e que o veículo tinha apenas problemas de trânsito. “Ele não falou nada a respeito da situação ao padrasto”, frisou Ezequias. O policial disse que o acusado repassou informações desconexas sobre onde adquiriu o veículo. “Uma hora ele fala que comprou de uma pessoa de Umuarama outra hora de Cianorte”, explicou.

O cabo encontrou também mensagens no celular do acusado já tentando negociar a venda o veículo. “Ele é mecânico e pintor e entende de automóveis”, disse. O rapaz foi encaminhado juntamente com o veículo à delegacia de Polícia Civil de Peabiru. O caso passará a ser investigado pela Polícia Civil da cidade.

Cabo Ezequias informou ainda que não há marcas de sangue no veículo. “Ele vai ter que explicar para a polícia como conseguiu este carro e onde está o dono”, falou.

Com informações do jornal Tribuna do Interior/Walter Pereira