Aragão Filho

11/10/2018

Aragão Filho

11/10/2018 08H00

Novo poder

No novo cenário político do Paraná, o deputado Márcio Nunes é nome lembrado para a presidência da Assembleia.

Quem também é lembrado entre os eleitos é Guto Silva, mas parece que seu destino será a chefia da Casa Civil.

Logo agora que Cláudio Palozi estaria alinhado com um governador amigo, não se reelegeu.

A região perdeu duplamente.

Representantes das associações junto da assistente social Rosemer

Estudantes da Unipar arrecadam

roupas para instituições filantrópicas

Objetivando a solidariedade e a conscientização de seus alunos, o curso de Pedagogia da Unipar realizou uma campanha de arrecadação de roupas, durante a campanha do agasalho. A atividade contou com a participação de todas as turmas do curso, que colaboraram doando diversas peças. Ao todo, 659 foram arrecadas e entregues para entidades assistenciais da cidade. A distribuição foi coordenada pela assistente social da Fundação Cândido Garcia, Rosemeri Berta Szezerbatz Augusto. As instituições Casa da Sopa Dr.Leopoldino, AMA (Associação de Pais e Amigos dos Autistas) e Amor é Ação foram as contempladas. “Nós nos sentimos agradecidos por essa iniciativa dos professores e alunos da Unipar; é de muita importância essa parceria. Essas roupas serão utilizadas em nosso bazar e ajudarão a levantar recursos para a entidade, destinados a beneficiar as crianças que participam desse projeto”, relata a assistente social Lays Pereira Bastos Santos, representando a associação Amor é Ação.

Simbolismo ruim

Ao pedir que o candidato a presidente Fernando Haddad (PT) deixe de visitá-lo na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, Lula aplica seu faro político.

A visita tem um simbolismo negativo, muito negativo.

No primeiro turno serviu para firmar Haddad como o candidato de Lula.

No 2º turno, as visitas atrapalham o candidato.

Ah, e as camisetas “Lula Livre”, que Haddad vestiu no primeiro turno, sumiram a pedido do próprio Lula.

A estratégia agora é tentar conquistar votos de anti-lulistas.

Ele disse:

Não entendo alguns jornalistas italianos que chamam de racista-nazista-xenófobo qualquer um que defenda mais ordem e segurança para os cidadãos.”

De Matteo Salvini, ministro do Interior e líder da direita italiana, ao saudar Bolsonaro pela votação do 1º turno.

Hospital do Câncer

O Hospital Uopecan ficará sem a ajuda substancial que o deputado Osmar Serraglio intermediava, além da verba significativa de suas emendas pessoais destinadas ao hospital, mas há expectativa de contar no ministério da Saúde com alguém sensível às dificuldades das unidades de combate ao câncer; um dos cotados para o ministério da Saúde de Bolsonaro, caso vença, é Henrique Prata, presidente do Hospital do Câncer de Barretos.

Outro é Nelson Teich, empresário e oncologista.

Sem amigo secreto

Se todo mundo continuar brigando por política do jeito que está, não haverá clima para brincar de amigo secreto no fim de ano.

A torcida é para que a tensão diminua até o Natal e que o brasileiro tente encontrar o caminho da cordialidade.

Kazu

O jogador japonês Kazu, que jogou no Santos, no Coritiba, no Matsubara e em outros times, foi matéria no New York Times.

Kazu é uma lenda no Japão e, aos 51 anos, ainda joga profissionalmente.

Escrito apenas ontem…

É claro que a justiça, sendo cega, não vê se é vista, e então não cora…

– Machado de Assis.

Na bala

As ações das Forjas Taurus, fabricante de armas, dobraram de valor na passagem de Jair Bolsonaro para o segundo turno.

Sabe o que isso quer dizer?

Que os especuladores aproveitam até espirro de maritaca para faturar na jogatina da bolsa de valores.

Ô raça!

Quem imaginaria

Quem poderia imaginar que um dia Valdir Rossoni, primeiro suplente de deputado nas últimas eleições, teria de manobrar contra um deputado eleito que atende pelo nome social de Boca Aberta para conseguir tomar a sua cadeira e suas imunidades?

Ouvi, e li, que Rossoni está mobilizando uma cruzada comporta de advogados, lobistas, relações públicas, e privadas, para derrubar Boca Aberta na Justiça Eleitoral.

Quem diria…