Aragão Filho

14/11/20118

Aragão Filho

13/11/2018 19H35

TRANSIÇÃO COM RIGOR

O governador eleito Ratinho Júnior determinou à equipe de transição de governo, que começa a trabalhar a partir do próximo dia 19, que faça uma análise criteriosa e completa de todas os contratos assinados ou renovados recentemente. Também quer um levantamento detalhado sobre todas as licitações. Pediu para levantar e acompanhar tudo considerando o período de até 70 dias antes da sua posse. E avisou que poderão ser revistos ou cancelados os procedimentos que não estiverem de acordo com o orçamento e com a necessidade do estado.

Ideologia

Cinco partidos, dos 14 atingidos pela cláusula de barreira, Rede, PCdoB, Patriota, PPL e PHS negociam fusões ou incorporações.

Está em jogo tempo de TV e grana, muita grana do Fundo Partidário.

A distância ideológica entre, por exemplo, PCdoB e PHS, um de esquerda e outro de direita, é mero detalhe…

Ou o PPL, que se apresenta como de esquerda, mas tem alianças com o DEM em Salvador, envolvimento em escândalos de corrupção no DF e na lava jato.

Quem se importa?

Escrito apenas ontem…

Se a experiência pode ensinar-nos seja o que for, ensina-nos isto: um político criterioso, numa democracia, é tão inconcebível quanto um assaltante honesto.

– Henry Louis Mencken.

Policromático

Os homens públicos são vistos pela opinião pública de forma cada vez mais impublicável.

– José Pires.

Comunicação

Pelo movimento das águas, deverá ser mesmo o jornalista Hudson José o secretário de Comunicação do governador eleito Ratinho Júnior.

Na visita que o governador eleito fez à Folha de São Paulo, Hudson parecia o homem que comandará a comunicação do governo.

É um especialista em marketing e comandou toda a comunicação da campanha vitoriosa de Ratinho.

É um craque desde os tempos em que assessorou Jaime Lerner!

Metafísico

Alguém já viu alguém que foi ateu a vida toda continuar ateu quando está a beira da morte?

Unidos

Os três senadores do Paraná firmaram pacto de atuação conjunta em favor do estado, o que não se via há muito tempo.

Álvaro Dias e Oriovisto conversaram sobre esta união na segunda-feira e receberam de Flávio Arns, que não pode estar presente, adesão à estratégia de ação conjunta.

O Paraná agradece!

Ele disse:

Os sindicatos e as centrais foram obrigados a voltar para a rua, mostrar serviço e fazer com que a categoria perceba a importância do nosso trabalho. Cerca de 80% dos sindicatos eram formados por pelegos e precisavam desse choque de realidade”.

De Antonio de Sousa Ramalho, presidente do SintraconSP, sobre o fim do imposto sindical.

Boca do Rossoni

Eleito com quase 100 mil, votos, Boca Aberta deverá ser alvo de ação judicial assim que for diplomado como deputado federal.

Ocorre que ele teve o mandato de vereador cassado em Londrina e, mesmo com direitos políticos suspensos, concorreu à Câmara dos Deputados amparado numa liminar.

Quem está de boca aberta a espera da vaga é Valdir Rossoni.

E já que perguntar não ofende…

– “Pode filmar policial na rua, mas não pode filmar professor em sala de aula? O que escondem?”

Perguntas de Marcos Reitz para a deputada eleita Ana Caroline Campagnolo (PSL), que sugeriu aos estudantes filmarem professores em sala de aula quando estiverem fazendo manifestação partidária.

Vixi!

Preço do voto

Quanto custou, com base na prestação de contas ao TRE, os votos dos candidatos eleitos com campanhas em Umuarama?

Soldado Adriano Jose (PV)R$ 1,05.

Delegado Fernando (PSL) R$ 2,10.

Marcio Nunes (PSD) R$ 11,86.

Jonas Guimarães (PSB) R$ 20,97.

Ele não fez campanha por aqui, mas o voto mais caro entre todos os eleitos foi de Luiz Fernando Guerra (PSL); R$ 28,24.

Herdeiro

Enquanto Rafael Greca conhece na Espanha, no maior evento de cidades inteligentes do mundo, o Smart City Expo World Congress, o que há de avançado para propiciar ao cidadão urbano uma vida mais confortável, Curitiba é administrada por mais um herdeiro político; Eduardo Pimentel.

Neto do ex-governador Paulo Pimentel, à quem Umuarama deve gratidão pelo muito fez, Eduardo busca seu próprio caminho político.

Greca, sempre que pode, costuma prestigiar o seu vice.

Resistência

A esquerda promove movimento de resistência à Bolsonaro, que sequer tomou posse, quando deveria formar uma frente de resistência contra os absurdos que o Senado vem aprovando.

É cada surpresa assustadora que só gente desligada das coisas do País não vê, não quer ver, ou pior, se beneficia do que vê.

Depois do aumento dos ministros do STF, com bilionário efeito cascata, pautou a redução do tempo de inelegibilidade, um presentão para corruptos.

E cadê uma frente de resistência contra os seguidos golpes que arrebentam ainda mais o Brasil e os brasileiros?

Ninguém sabe, ninguém viu.

E segue o baile…

Escola

A Câmara discute a Escola Sem Partido.

Nos grotões brasileiros a discussão é sobre a escola sem nada; sem merenda, sem quadro negro, sem caderno, sem livro, sem professor qualificado, sem futuro…

Nas melhores cidades, tem a escola sem segurança, prédios caindo aos pedaços, fábrica de analfabetos funcionais, professores rendidos pelas circunstancias…

Alguém lembra que há exceções.

Ah, as exceções…

Unipar social

A Unipar acelera na prestação de serviços à população de Umuarama, e da região.

Não há um curso sequer cujos acadêmicos não estejam envolvidos em algum tipo de atividade de cuidados ao próximo.

São milhares de pessoas alcançadas com os mais variados benefícios.

Imagine o custo de tudo isso se o contribuinte tivesse de pagar?

É uma ajuda e tanto para o poder público.