Região

RETOMADA

Produtores de frango voltam a entregar para o frigorífico Averama

22/04/2019 14H27

RETOMADA  Produtores de frango voltam a  entregar para o frigorífico Averama
A família de avicultores: Edson de Castro com os filhos Cristiano e Rodrigo e a esposa Maria Luiza: ‘foi com o barracão de frangos de mudamos de vida’

Umuarama – Aos poucos produtores de frango estão voltando a produzir e entregar aves para o frigorífico Averama. Um dos primeiros a retomar a parceria é o avicultor Edson Aparecido de Castro, 63 anos, de Cafezal do Sul, a 35 km de Umuarama.
Ele já está no segundo lote e daqui a mais ou menos 33 dias deve fornecer 18 mil frangos prontos para o abate. Junto a Castro estão mais dois produtores, sem contar os aviários mantidos pelo próprio frigorífico.

PARCERIA QUE DEU CERTO

“Trabalhei em parceria com a Averama por mais de seis anos. Só parei quando eles fecharam as portas. Agora, quando veio a oportunidade de voltar a trabalhar com eles, não tive dúvidas”, relatou o avicultor.
Ele salientou que a direção da empresa formalizou acordo para o recebimento dos R$ 15 mil pendentes de uma última criada entregue anteriormente. “Já está negociado. Pela primeira criada consegui o valor de R$ 1,07 por ave. É bem mais do que estava conseguindo com o parceiro anterior, que estava pagando em média R$ 0,80 por ave”, afirmou.

BARRACÃO

Com a perspectiva de aumentar os ganhos com a retomada da parceria com a Averama, Edson já faz planos para um novo barracão, com capacidade para 35 mil aves. O investimento estimado é de R$ 700 mil. “Terminamos em 2020 de pagar este barracão e queremos ampliar”, afirmou.
“Nossa vida mudou depois que passamos a trabalhar com o barracão de frango. Quando meu pai falou que a Averama queria voltar, disse para ele não pensar e pegar a oportunidade”, afirmou Cristiano de Castro, 33 anos, filho mais novo do avicultor.
Cristiano lembra que antes da avicultura, ele e o irmão Rodrigo trabalhavam em usinas da região. “A gente passava dificuldade. Não tinha carro ou dinheiro para ir até a cidade. Íamos a pé. Agora não”, salientou. Cristiano afirmou que ele o irmão estão sempre antenados na internet para saber o que há de novidade no setor.

 

AGRICULTURA FAMILIAR

Com essa união familiar, a pequena propriedade de 10 alqueires e meio hoje é auto suficiente. O esterco do aviário é aplicado como adubo na produção de milho e pasto, que viram ração para as 60 vacas leiteiras da família.
De acordo com Cristiano, o barracão de frango sempre se pagou e permitiu que a família e a propriedade prosperasse. “Temos maquinários. Começamos na próxima semana a construir uma área maior para melhorar a ordenha. Queremos chegar a produção de 1.500 litros de leite nos próximos três anos. Agora não penso em sair daqui não”, afirmou.
Segundo a matriarca da família, Maria Luiza Perichowiki de Castro, 59 anos, hoje os filhos têm carro e casa próprios e trabalham na propriedade da família. “Começamos as 5 horas e vamos até as 21 horas, mas vale a pena”, ressaltou.

 

MODELO

O barracão da família é considerado modelo e de auto-rendimento, segundo o engenheiro agrônomo da Averama, Carlos Roberto Monteiro Soares. “Eles investem em tecnologia e conseguem um bom rendimento, com baixo índice de mortes de aves, consumo menor de ração e mesmo assim conseguem que os frangos ganhem peso, tudo com trabalho dedicado e com controle”, ressaltou.

 

RETOMADA Produtores de frango voltam a  entregar para o frigorífico Averama
O engenheiro agrônomo da Averama, Carlos Soares e os avicultores Edson e Maria Luiza de Castro

AVERAMA

Carlos Soares afirmou que está visitando produtores que já trabalharam com a Averama para reativar a parceria. O frigorífico chegou a ter 40 avicultores fornecendo aves e a gerar diretamente 3 mil empregos que permitia a exportação para 26 países.
Com o fechamento da empresa, em 2016, Umuarama deixou de arrecadar R$ 1.975.198 somente em 2018, segundo dados da Prefeitura Municipal.