Esportes

Punição?

Procuradoria do STJD pede urgência em análise de agressões de Sassá e Mayke

27/09/2018 16H13

Sassá e Mayke estão na mira da Procuradoria do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) pelas agressões entre si no jogo de volta da semifinal da Copa do Brasil entre Cruzeiro e Palmeiras, ocorrido nesta quarta-feira (26), no Mineirão.
O pedido de Felipe Bevilacqua, procurador do órgão, é de atenção e urgência com o caso, segundo informou a Procuradoria à reportagem.
Para oferecer a denúncia, a Procuradoria do STJD fará a análise de imagens e da súmula da partida. O carioca Wagner do Nascimento Magalhães, árbitro do jogo, relata no documento que o centroavante foi expulso por atingir um companheiro de profissão.
“Após o término da partida expulsei de forma direta o atleta Luiz Ricardo Alves [Sassá], número 99 da equipe do Cruzeiro, por desferir um soco contra o rosto de seu adversário de número 12, Mayke Rocha de Oliveira”, escreveu.
Também expulso ao término do confronto, Mayke terá a situação analisada pelo STJD. O jogador teve as agressões relatadas em súmula pelo árbitro do duelo.
“Após o término da partida expulsei de forma direta o atleta Mayke Rocha de Oliveira, número 12 da equipe do Palmeiras, por desferir socos contra seus adversários de número 99, Luiz Ricardo Alves e número 3, Leonardo Renan Simões de Lacerda [Léo]”, destacou.
Sassá e Mayke devem ser enquadrados no artigo 254-A do CBJD (Código Brasileiro de Justiça Desportiva). O trecho estabelece suspensão de quatro a doze partidas por “praticar agressão física durante a partida”.
A partida em Belo Horizonte terminou empatada em 1 a 1, com classificação do Cruzeiro para a final da Copa do Brasil. No jogo de ida, em São Paulo, os cruzeirenses haviam vencido por 1 a 0. Na finalíssima, o time celeste enfrentará o Corinthians. (Folhapress)