Helton K. Lustoza

Coluna

PLANEJAMENTO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E A VACINA COMO SALVAÇÃO DA POPULAÇÃO

19/12/2020 14H20

Gleison do Prado de Oliveira
Contador e Acadêmico do curso de Direito da UNIPAR.
E-mail: gleison.oliveira@edu.unipar.br

No século passado, o jurista e escritor Miguel Seabra Fagundes afirmou que administrar era “aplicar a lei de ofício”. Sim, administrar a máquina pública naquela época, era, resumidamente, um trabalho menos complexo quando comparado ao ano de 2.020, afinal, as informações, atualmente, circulam numa velocidade imensurável, dado o apogeu tecnológico que paira no meio de nós. A “peste chinesa” ainda tira noites de sono das autoridades administrativas que se encarregam de sustentar a economia com os meios alternativos que ainda lhes restam.
Algumas perguntas surgem após esta reflexão: quais são os maiores desafios enfrentados pelo Administrador Público no presente momento? A rápida circulação das informações contribui até que ponto para uma Administração Pública eficiente? Como as Autoridades Administrativas estão se posicionando frente ao caótico Coronavírus?
Nota-se, que de fato o assunto é complexo. Administrar a máquina pública, nunca foi um trabalho tão desafiante de ser executado.
Por um lado, temos a tecnologia que auxilia a Administração Pública com informações precisas e em tempo absolutamente hábil, como no uso do aplicativo GovFácil, desenvolvido por um empresário na cidade de Umuarama – Pr, em 2009, que alcança os municípios de grande parte dos Estados brasileiros e oferece soluções eficazes para os Administradores Públicos que enfrentam os inúmeros desafios relacionados a gestão municipal. Por outro lado, temos o consumo inadequado de informações que se proliferam no contexto midiático e nas redes sociais. Ora, o jornalista e escritor Everton Bastazini Barbosa já nos alertara afirmando que “consumir mídia sem uma prévia e constante análise crítica é suicídio”.
Por meio das manifestações em massa, via redes sociais, foi possível identificar a população implorar por salvação, uma vez que todos querem voltar a viver uma vida sem restrições impostas por Decretos. Querem voltar a dar um abraço apertado e o velho aperto de mão. Mas ainda não dá! É preciso esperar e agir segundo imposições dos Atos Administrativos. O vírus está contaminando a população em larga escala, sendo que no mês de dezembro, segundo o Boletim Diário da Prefeitura de Umuarama, o número de casos confirmados triplicou em relação ao mês anterior, ultrapassando o número de 4.300 infectados.
A ansiedade pela solução é tamanha que várias autoridades administrativas estão se comprometendo a adquirir vacinas que ainda estão na fase final de desenvolvimento para reduzir o alcance da contaminação, tornando as pessoas imunes ao vírus.
Enquanto a nação aguarda ansiosamente pela chegada das doses de vacina no país, o Diário Oficial da União publica constantemente Portarias e Editais, que em suma, se utilizam de meios como a contratação temporária de profissionais da saúde e habilitação de leitos em hospitais para o enfrentamento do coronavírus.
Como se não bastasse a corrupção de um passado não muito distante, as sonegações fiscais por parte dos contribuintes, e o uso do poder de polícia, o maior desafio da Administração Pública consiste em vencer a Covid-19.
Sem sombra de dúvidas que a expectativa na vacina é elevada e, com certeza, será uma grande ferramenta para a salvação da população diante do coronavírus, doença responsável por milhares de mortes em torno do mundo.
O desafio vindouro das Autoridades Administrativas consistirá no planejamento a ser feito e executado. Afinal, importante tornar-se-á os critérios a serem estabelecidos para distribuir as vacinas, a quem priorizar na aplicação das doses, e como controlar a distribuição de tal maneira que não haja conflito de interesses meramente políticos, evitando que parcelas da sociedade sejam prejudicadas.
Além da aplicação da lei de ofício para a Administração Pública, administrar tornou-se um trabalho que exige, além de outros atributos, a preparação para o cargo em termos de conhecimento em larga escala sobre gestão, políticas públicas, meios de arrecadação, utilização das ferramentas de controle administrativo como autêntico instrumento de poder, visão humanitária e aguerrimento para os desafios que se perpetuam ao longo do tempo.
Vencer o coronavírus, além de ser o objetivo da Administração Pública, passou a ser o anseio de toda a nação!