Região

MEIO AMBIENTE

Brasilândia do Sul começa a trabalhar na Plataforma “Cidades Sustentáveis” com apoio da ITAIPU

04/09/2018 10H41

Prefeito Marcio Marcolino reunido com pessoal na Prefeitura

O município de Brasilândia do Sul aderiu recentemente ao Programa Cidades Sustentáveis e começou a trabalhar com os indicadores de sustentabilidade. O Programa faz parte de um amplo projeto em parceria entre o Município e a ITAIPU BINACIONAL. A partir de agora serão trabalhados os 12 eixos temáticos que compõem os Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis (ODS). A divulgação do Programa e a capacitação de técnicos municipais na implantação da Plataforma “Cidades Sustentáveis” é feito por meio da ITAIPU, que ainda atende mais de 50 Municípios da área da Associação dos Municípios do Oeste do Paraná (AMOP). A assinatura da carta-compromisso foi realizada recentemente pelo prefeito Marcio Marcolino. Entre as ações trabalhadas estão: coleta seletiva e reciclagem, saúde pública, mobilidade urbana, pavimentação rural e combate às mudanças climáticas, entre outros. O prefeito Marcio, ao assinar o Pacto Global, na manhã de segunda-feira (03), enfatizou a necessidade de trabalhar com o conceito de sustentabilidade. “É impossível administrar planejando o futuro de uma comunidade se a gente não pensar no meio ambiente. Tudo que fazemos está de uma maneira ou outra ligada a sustentabilidade”, destacou.

Reconhecimento

Segundo o assessor de coordenação da ITAIPU, Aldemir Guerino, Brasilândia do Sul trabalha de forma intensa o Programa e já é destaque entre os 54 Municípios da região, se posicionando entre os 10 Municípios que estão desenvolvendo atividades e gerando resultados expressivos no projeto. A assinatura ainda foi testemunhada pelo coordenador técnico do Programa Cidades Sustentáveis, Matheus Gueri e secretários municipais.

Eixos

Os 12 eixos que são trabalhados nas ODS são: governança; educação para a sustentabilidade e qualidade de vida; gestão local para a sustentabilidade; melhor mobilidade, menos tráfego; bens naturais comuns; economia local dinâmica, criativa e sustentável; planejamento e desenho urbano; ação local para a saúde; equidade, justiça social e cultura da paz; consumo responsável e opções de estilo de vida; cultura para a sustentabilidade; e do local para o global.