Vida e Cultura

Sonoridade

Baby Me Atende – Matheus Fernandes e Dilsinho

04/03/2021 16H42

Single

Apostando em uma sonoridade especial, com batidas eletrônicas e influências do forró e do piseiro, Matheus Fernandes convidou o pagode do amigo Dilsinho para o lançamento de “Baby Me Atende”. O resultado já pode ser conferido. Além de estar disponível nas plataformas de música, a faixa também ganhou videoclipe no YouTube. Esta é a primeira música do novo projeto audiovisual de Matheus Fernandes, gravado em Fortaleza, que vai contar com diversas faixas inéditas, autorais, regravações do cantor e outras participações especiais. Escrita por Matheus na madrugada anterior a gravação do DVD, “Baby Me Atende” traz uma linguagem e estilo diferenciados, intercalando a melodia com partes faladas e com grande potencial para se tornar um hit.  Com o refrão na voz de Dilsinho – “Oh baby, me atende / Ai que vontade de jogar meu celular na parede / Oh baby, me atende / Ai que vontade de jogar meu celular na parede” – “Baby Me Atende” conta a história de um relacionamento que não terminou bem. “Ficou muito bom, ele cantando essa música. Cantou muito bem a parte que é da subida do refrão. Ficou sensacional, encaixou muito na voz dele e eu fiquei muito feliz com o resultado”, comenta Matheus. Com quase 10 anos de estrada, o cearense Matheus Fernandes hoje é considerado uma das grandes apostas do forró, combinando ritmos como sertanejo, piseiro e batidas eletrônicas ao seu trabalho.

Clipe

F*F*M* – Filipe Ret 

Filipe Ret acaba de lançar o clipe de “F*F*M*”, primeiro single inédito de seu novo álbum, intitulado “Imaterial”, com lançamento marcado ainda para este mês pela Som Livre. A faixa de trabalho reforça a identidade do artista no trap, que se solidifica em “Imaterial” e pode ser ouvida em todas as plataformas de música. Com direção de Cauã Csik, o filme foi construído num conceito de metalinguagem, na qual o clipe conta a história do próprio clipe. O projeto é uma viagem sensorial que brinca com o mundo real e o mundo fantástico da arte. O lançamento de “F*F*M*” também é uma resposta artística ao recente episódio no qual Ret recebeu voz de prisão por porte de cannabis. “A gente vive num país onde eu nem pude colocar explicitamente o nome da música (“Fudendo Fumando Maconha”). Apesar da grande velocidade de informação no mundo de hoje, o Brasil é um país atrasado ideologicamente. A função do artista é instigar novas realidades e gerar novos questionamentos. Falar sobre sexo e drogas ainda é um tabu, mas é uma realidade que temos que enfrentar sem demagogia”, comenta Ret sobre suas inspirações.