Umuarama

INFORME UEM AGRÍCOLA

Atributo fisiológico da semente: reflexos no estabelecimento de plantas e no desempenho produtivo de grandes culturas

12/07/2020 08H10

Professora. Dra. Julia Abati

E-mail: jabati2@uem.br

Produção e Tecnologia de Sementes

Departamento de Ciências Agronômicas

Universidade Estadual de Maringá – Campus Regional de Umuarama

Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB) a produção brasileira de grãos na safra de 2019/2020 está estimada em aproximadamente 251 milhões de toneladas. Apesar desse número ser expressivo e nos mostrar o potencial agrícola do Brasil, sabe-se que essa produção poderia atingir números ainda maiores se fossem utilizadas, na totalidade das lavouras produtoras de grãos, sementes de elevada qualidade.

Mas o que são sementes de elevada qualidade? Qual a importância do uso dessas sementes? Primeiramente é preciso deixar claro que semente é diferente de grão. Essas diferenças ocorrem, de maneira geral, no modo de produção a campo, na armazenagem e no destino final do produto, na qual os grãos são utilizados como alimento direto, tanto por humanos como por animais, ou processados pela indústria, já as sementes são utilizadas na semeadura e, para isso, precisam ter alta qualidade.

A qualidade de sementes é composta por quatro atributos, a saber: genético, físico, sanitário e fisiológico. Salienta-se que todos esses apresentam importância equivalente, entretanto, nesse texto o foco será dado ao componente fisiológico, o qual é caracterizado pela germinação e vigor das sementes.

O uso de sementes com elevada germinação e vigor reflete em maior porcentagem, velocidade e uniformidade de emergência de plântulas a campo, principalmente quando ocorrem condições desfavoráveis, como por exemplo: profundidade de semeadura inadequada, baixa temperatura e seca, situações que ocorrem com frequência. Além disso, essas sementes, muito comumente, resultam em plantas com maior sistema radicular e parte aérea e, consequentemente, esse melhor crescimento e desenvolvimento refletem positivamente nos componentes de produção das culturas e em vantagem competitiva com as plantas daninhas, contribuindo com a obtenção de elevadas produtividades de grãos.

Assim, o uso de sementes de baixa qualidade fisiológica, especialmente quando a semeadura é realizada em condições edafoclimáticas adversas, refletem em manifestações contrárias às mencionadas anteriormente e trazem problemas aos agricultores. Por exemplo, em alguns casos deve-se proceder à ressemeadura da área e, com isso, muitas vezes, há perda da janela adequada de plantio, não há mais semente da cultivar almejada, há gastos com mão de obra e horas máquina, entre outros fatores que resultam em prejuízos ao agricultor e isso, com certeza, ninguém almeja.

Atualmente há diversos trabalhos com grandes culturas (milho, soja, trigo, entre outras) comprovando os aspectos mencionados anteriormente. Em trabalho realizado, em parceria com a Universidade Estadual de Londrina e a Embrapa Soja, com quatro cultivares de trigo, em Londrina-PR e em Ponta Grossa-PR, verificou-se que o uso de sementes vigorosas resultou em maior porcentagem de emergência de plântulas a campo, maior crescimento da parte aérea das plantas e maior produtividade de grãos [344 kg ha-1 (Ponta Grossa) e 205 kg ha-1 (Londrina) de incremento – média das quatro cultivares] em relação ao uso de sementes de baixo vigor (Figuras 1 e 2). Demonstrando, a importância do conhecimento da qualidade das sementes utilizadas para a instalação da cultura.

Figura 1. Uniformidade de estande de plantas de trigo oriundas de sementes de alto vigor (A e B).
Figura 2. Estande de plantas de trigo abaixo do recomendando para a cultivar, resultante da utilização de sementes de baixo vigor (A e B)

Considerações finais

Salienta-se que o efeito do atributo fisiológico, especialmente do vigor de sementes, pode ser mais ou menos expressivo dependendo das condições meteorológicas que ocorrem ao longo do ciclo da cultura, principalmente durante a semeadura até o estabelecimento das plantas a campo, da espécie, da cultivar e da sua plasticidade fenotípica, da densidade de semeadura, entre outros fatores.

Além disso, o estabelecimento da cultura com sementes de alto vigor deve estar associado à adequada escolha de ambientes de cultivo (locais e data de semeadura), de manejo e tratos culturais e de cultivares adaptados.