Umuarama

Casa da Paz

Voluntários iniciam a produção do tradicional bolo de Santo Antônio

30/05/2019 10H13

bolo-casa-da-paz-umuarama

O tradicional bolo de Santo Antônio da Paróquia Nossa Senhora do Perpetuo Socorro de Umuarama já começou a ser produzido pelos voluntários do projeto Casa da Paz. Há 18 anos os fiéis mantêm viva a cultura e este ano 3.500 pedaços estarão à venda, para as pessoas que buscam o milagre do casamento. Além de celebrar o dia do santo, comemorado no dia 13 de junho, a comercialização do doce tem um objetivo maior, o de arrecadar fundos para a construção da sede da Casa da Paz.

Segundo a presidente da Casa da Paz, Sílvia Ribeiro Martins, a ação este ano tem uma motivação maior, pois a verba da venda dos bolos será revertida para a construção da sede da Casa da Paz, que hoje atende 100 crianças em contra turno escolar. “Ganhamos um terreno do município e com os valores e mais o apoio da comunidade de Umuarama queremos começar a construir. Com a sede nova, teremos mais condições de abrigar as 100 crianças e adolescentes que atendemos”, ressaltou.

Para a confecção do bolo, 20 voluntárias vão trabalha nos próximos dias. O auge do evento será no sábado dia 13, dia de comemoração de Santo Antônio e este ano o pedaço do bolo será comercializado a R$ 5,00 e pode ser retirado na Casa da Paz, situada na avenida Liberdade número 3076 ou escritório da Paróquia Nossa Senhora do Perpetuo Socorro.

Como todo ano, os valores arrecadados serão destinados ao projeto Casa da Paz, que leva atividades educativas e lúdicas para os menores dos bairros próximos a paróquia.

HISTÓRIA

A tradição do bolo na paróquia começou tímida, com apenas 150 pedaços, mas ao longo dos anos a procura aumentou e hoje muitas pessoas buscam o bolo com a medalha de Santo Antônio.

De acordo com a tradição popular, a miniatura do santo encontrada dentro do bolo indica que o sortudo ou a sortuda deverá se casar em breve ou conseguirá uma graça divina. Para os religiosos, ao encontrar a miniatura também é possível fazer outros pedidos que não sejam os amorosos. “Lembramos que encontrar a medalhinha é sorte, pois a cada cinco bolo um tem a medalha”, esclareceu Silvia.

MAIS QUE CASAMENTEIRO

Com sua morte em 13 de Junho de 1.231 (39 anos) em Pádua, Itália, a fama de Fernando de Bulhões levou-o a ser canonizado pela Igreja Católica e ser eternizado como Santo Antônio. O religioso tinha um vasto conhecimento de ambas as ciências, como teólogo, místico e sobretudo como notável orador e grande dramaturgo. Santo Antônio é também tido como um dos intelectuais mais notáveis de Portugal do período pré-universitário.

Santo Antônio lecionou em universidades italianas e francesas e foi o primeiro Doutor da Igreja franciscana, por isso, São Boaventura disse que ele possuía a ciência dos anjos.