Umuarama

PET ILUSTRADO

Veterinária orienta para a prevenção de duas doenças que acometem os gatos

01/06/2020 11H26

O número de adoções de animais de estimação vem crescendo no Brasil. Porém, ao adotar um pet o tutor precisa ter consciência, que esse ser vivo necessita de cuidados e atenção. A vacinação é um dos primeiros itens a ser observado, explica a médica veterinária de Umuarama, Juliana Amarante. Juliana também falou sobre duas doenças, que acometem os gatos: o vírus da imunodeficiência felina (FIV) e o vírus da leucemia felina (FeLV).

Segundo Juliana Amarente, o FIV e o FeLV afetam principalmente os felinos domésticos e as infecções por estes agentes é mais comum quando existe alta densidade populacional de felinos errantes e semi-domiciliados. “Os vírus FeLV e FIV, são pertencentes a mesma família (Retroviridae), porém pertencem a gêneros diferentes e estão associados com diversas condições debilitantes nos gatos”, disse.

A infecção pelo FIV torna os animais mais suscetíveis a outras infecções, pois está associada ao estado de imunossupressão (sistema imunológico) dos animais. A doença deixa o animal propenso à infecções secundárias, que são responsáveis por alta taxa de mortalidade dos gatos, explicou a médica veterinária. O vírus da FIV é normalmente transmitido pelo contato direto de animais sadios com animais infectados, por meio de mordidas e arranhões durante brigas.

LEUCEMIA FELINA

Na FeLV os sinais clínicos apresentados são variados assim como na FIV, os animais portadores são suscetíveis a neoplasias como o linfoma e quadros de imunossupressão, desordens hematológicas, síndromes reprodutivas e neurológicas. Comumente os gatos podem apresentar perda de peso, febre, desidratação, diarreia, conjuntivite e infecções orais”, explicou.

Juliana ressaltou que a transmissão ocorre pelo contato direto entre gatos positivos para FeLV e os saudáveis, principalmente por meio da saliva em casos de lambeduras e compartilhar potes de água e ração. A doença também pode ser transmitida pelo sangue, secreção nasal, lágrimas, fezes e no leite.

PREVENÇÃO

O alerta da médica veterinária Juliana Amarante é para prevenção e para isso, o tutor deve evitar o acesso do animal à rua, solicitar ao veterinário uma avaliação dos felinos que serão adotados antes da introdução no ambiente e vacinação para o FELV. “Além disso, é fundamental o diagnóstico precoce dos felinos portadores, o qual é feito por meio de uma amostra de sangue em um teste rápido e que leva em torno de 10 minutos para ter o resultado. Leve regularmente seu pet ao médico veterinário e lembre, se miou testou”, finalizou.

SEU PET NO ILUSTRADO

FAMÍLIA

Ele é cheio de estilo e adora crossfit, este é shih tzu Burpee. Além da paixão pelos esportes, ele acabou de receber o título de irmãozão do pequeno Leonardo. Junto com seus tutores, o professor André Luiz Camargo (Academia Troia) e Ana Elisa Peres Souza Camargo (Procuradora do Estado do Paraná) Burpee, há quatro meses, vive a beleza que o nascimento traz para o seio familiar.

SIMPATIA EM CACHORRO

Quem é cliente da Clínica Veterinária Clinipet de Umuarama, conhece a simpática Palmira. Além de adorar um carinho, Palmira também gosta de retribuir e se você chegar na clínica, com certeza, ela vai te receber com um belo sorriso. O Pet Ilustrado recomenda, se quiser bater um papo legal para aliviar as tenções do dia, vai conhecer a Palmira.

O FRIO CHEGOU

Animais também sofrem com o frio e podem até adoecer por conta disso. Por isso, é preciso estar atento e reforçar os cuidados com os bichinhos nesta época do ano. Atenção os cachorros de pelo curto precisam de atenção maior, por isso, não esqueça de buscar modelitos de roupas quentes para seu bichinho. Dê preferência para tecidos soft e malhas.