Cotidiano

.

Usuários enganados tentam matar traficante, diz polícia

31/08/2018 06H30

Umuarama – “Estelionato no tráfico”. Foi essa expressão que o delegado-chefe da 7ª SDP, Osnildo Carneiro Lemes apresentou como motivação para a tentativa de homicídio ocorrida na madrugada de ontem (30), no Jardim Iguaçu, em Umuarama.Segundo Lemes, os autores contaram que são usuários de entorpecentes e que por diversas vezes compraram droga da vítima, que ao invés de pedras de crack entregava pedra brita, pedaço de sabão, ou mesmo apenas o alumínio embrulhado.“Eles contaram que por diversas vezes compraram a droga e quando foram fumar descobriram que foram enganados. Disseram que por isso tentaram matar a vítima e que vão terminar o ‘serviço’ quando saírem”, relatou o delegado.Dos cinco envolvidos, apenas dois adolescentes, de 16 e 17 anos, confessaram a participação na tentativa de homicídio. Os três homens de 20, 24 e 25 anos, também presos em flagrante, negaram qualquer envolvimento à polícia. Na casa de um dos suspeitos a Polícia Militar apreendeu um Chevrolet Chevette branco, que está com manchas de sangue na lataria.O carro teria sido usado pelos suspeitos para ir até a casa da vítima e depois para a fuga, segundo a polícia. Com o quinteto a polícia ainda apreendeu um revólver calibre 38, que teria sido usado na tentativa de homicídio. “Eles teriam efetuado três disparos contra a vítima, mas a arma ‘pipocou’ (falhou) e então resolveram agredir a vítima’, explicou o delegado.Segundo a Polícia Militar, por volta das 3 horas de ontem a vítima, um homem de 36 anos, pediu socorro. Os policiais o encontraram gravemente ferido e com diversos hematomas pelo corpo e na cabeça no bairro Jardim Iguaçu. De acordo com a PM, a vítima relatou que cinco pessoas teriam ido até sua casa, efetuado três disparos de revólver contra ele e quando a arma falhou, foi agredido com chutes, socos, coronhadas e com pedaços de pau.De acordo com a polícia, a vítima conseguiu fugir e buscar ajuda na casa de um vizinho, que acionou a polícia. A vítima foi levada pelo Samu para o Hospital Norospar, onde permanecia internado na enfermaria até o fim da tarde de ontem. Ainda segundo a PM, a vítima afirmou que conhecia os agressores e indicou para a polícia onde os encontrar. A Polícia Militar conseguiu localizar os cinco suspeitos em uma casa no bairro Córrego Longe.