Umuarama

CORONAVÍRUS

Umuarama fara testagem em massa nos bairros mais atingidos pela covid-19

16/04/2021 09H04

Jornal Ilustrado

O Centro de Operações de Enfrentamento à Covid-19 (COE Municipal) reuniu na quinta-feira (15) para atualizar as informações sobre a pandemia de coronavírus em Umuarama. No encontro foi ressaltado a redução dos casos, após fechamento da cidade, além da ação de testagem em massa dos umuaramenses, que moram nas regiões com maior incidência da covid-19.

Coordenadoria de Vigilância em Saúde (Covisa), Maristela Ribeiro, anunciou na reunião que o município iniciará nos próximos dias testagem em massa da população nas regiões com maior incidência de casos de covid-19, que são as regiões das UBS Jardim Lisboa, Jardim Cruzeiro (Cohapar III) e Centro de Saúde Escola, com apoio dos alunos de Medicina da Universidade Paranaense (Unipar).

“Informamos à população que as equipes vão bater de porta em porta, nesses bairros, orientar sobre a atividade e oferecer o teste, todos devidamente identificados e com os cuidados de segurança necessários”, explicou.

Segundo a secretária de Saúde, Cecília Cividini, as informações coletadas nas visitas serão analisadas, como também, as tendências, situação dos leitos hospitalares, medicamentos, taxa de contágio entre outros fatores para recomendar ao prefeito Celso Pozzobom decisões sobre medidas de enfrentamento do coronavírus.

“Sejam de flexibilização ou de restrição de atividades. Tudo é embasado em informações e uma avaliação geral do quadro que pode mudar repentinamente. O nosso desejo é que a situação esteja normalizada o quanto antes para todos os setores”, completou Cecília Cividini.

Cecília ainda informou que no primeiro trimestre do ano foram realizados 16.159 atendimentos no PA 24h e 10.989 no ambulatório de síndromes gripais, de pessoas com sintomas respiratórios. “Também tivemos atendimentos nas UBS, que ainda não foram totalizados, e diretamente nos hospitais. Embora o número de casos positivos tenha diminuído (a média móvel vem recuando há três semanas), muitas pessoas ainda têm procurado o médico com suspeita de infecção. Portanto, não podemos descuidar”, recomendou.

A escassez de medicamentos específicos para pacientes graves de Covid-19 ainda é um problema persistente nos hospitais e no PA, que funciona como um hospital de campanha, o que tem levado o município a ‘emprestar’ remédios de cidades próximas, além dos repasses da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa).

As mortes por complicações do coronavírus ainda estão altas em Umuarama, porém a taxa de mortalidade local é menor do que em cidades de porte semelhante no Estado e até com populações menores.