Umuarama

social

Tiro de Guerra de Umuarama realiza campanha de arrecadação de brinquedos

02/10/2020 08H59

Com o objetivo é arrecadar brinquedos que serão distribuídos a entidades assistenciais de Umuarama, o Tiro de Guerra 05-012 está realizando a campanha ‘Faça uma criança feliz, doe um brinquedo’. Este é o segundo ano da ação e prevê a comemoração do Dia das Crianças, principalmente neste momento de pandemia.

Segundo o subtenente Roberto Finamor Daronco, na campanha podem ser doados brinquedos novos ou usados, desde que estes estejam em condições de uso, e as doações devem ser realizadas até segunda-feira (5) em nove pontos de coletas: Tiro de Guerra; Sesc; Escola Educare; Escola LIG; Colégio Prisma; Colégio Geração Cima; Método Supera Umuarama; Stay Fit Academia e Academia Furious Fit.

Na campanha de 2019 foram mais de 1500 brinquedos distribuídos para crianças de instituições de Umuarama. “Essa campanha esta sendo feito da mesma forma do ano passado, com os mesmos parceiros e acreditamos que será um sucesso novamente. A ideia e levar um pouco de conforto para as crianças que mais precisam, principalmente neste tempo de pandemia e crise econômica”, ressaltou o subtenente Finamor.

Ainda segundo o subtenente, ação faz parte da formação dos atiradores do Tiro de Guerra de Umuarama, que procura aproximar eles da sociedade, trabalhando a cidadania e formando o sentimento de participação da comunidade, em prol de ações sociais. “Principalmente este ano de pandemia estamos trabalhando muito esta questão social de apoio a comunidade”, explicou.

HIGIENIZAÇÃO

Devido a pandemia do coronavírus, os brinquedos recolhidos passarão por higienização no Tiro de Guerra. Na sequência as doações serão agendada junto as instituições a data para a entrega das doações. os brinquedos doados foram entregue para as crianças da instituição Vida e Solidariedade, Casa da Paz e Bem Viver, Crevid, Assebe, Abrigo Tia Lili, ARA, Assumo e Apadevi.

EXTREMA POBREZA

O país tinha 4,4 milhões de crianças em situação de extrema pobreza no ano passado. Isso significa que 11,5% das pessoas de zero e 13 anos de idade viviam com renda domiciliar per capita inferior a US$ 1,90 por dia, o correspondente a cerca de R$ 150 mensais.

Essa proporção chega a 21,5% nas região Nordeste do país.

Os dados fazer parte de levantamento inédito do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV) a partir da base de dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua (Pnad Contínua), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).