Cotidiano

PREJUÍZOS

Tempestade e fortes ventos deixaram estragos em Umuarama e 15 cidades sem luz

14/10/2021 15H51

Árvore caiu sobre muro de casa e atingiu telhas, causando transtornos (foto redes sociais)

As fortes chuvas e rajadas de ventos que chegaram a 100 km/h em algumas cidades da região deixaram ao menos 15 municípios sem energia elétrica desde a madrugada desta quinta-feira (14).

Segundo a Copel nove torres de transmissão foram abaixo entre Assis Chateaubriand e Umuarama, o que deixou 170 mil unidades consumidores no escuro desde a madrugada. Já o abastecimento de água ficou comprometido em Umuarama e em Cruzeiro do Oeste.

Pelo menos nove torres de transmissão caíram entre Assis e Umuarama (Foto divulgação Copel)

Equipes emergenciais

De acordo com a Copel, as equipes de manutenção e emergência estão trabalhando desde a madrugada na reconstrução das redes para restabelecer o fornecimento aos 87 mil domicílios que permaneciam sem energia em toda a região até o fim da manhã. Equipes de outras regiões do Estado foram descoladas para auxiliar na recomposição do fornecimento, trabalho que deve se estender para os próximos dias.

Sem energia

Mais de 90 circuitos de média tensão sofreram danos, principalmente devido à queda de galhos e de árvores inteiras sobre as redes. Ainda segundo a concessionária, o atendimento prioritário é dedicado às redes que atendem hospitais e unidades de saúde, além da recomposição das fontes de alimentação a 15 municípios que tiveram o fornecimento quase totalmente interrompido.

São eles: Cafezal do Sul, Cruzeiro do Oeste, Farol, Francisco Alves, Mariluz, Mato Rico, Mirador, Moreira Sales, Nova Olímpia, Porto Rico, Querência do Norte, Rancho Alegre do Oeste, Santo Antônio do Caiuá, São Pedro do Paraná e Tapira.

Cuidados

A Copel lembra que, em dias de tempestades, deve-se manter distância de situações que possam oferecer riscos, como postes quebrados e fios rompidos.

A falta de luz pode ser comunicada pelo site e aplicativo, pelo telefone 0800 51 00 116 e pelo WhatsApp 41 3013-8973.

Há ainda a opção de enviar uma mensagem de texto (SMS) para o número 28593, com as letras “SL” e o número da unidade consumidora.

Diversas árvores caíram na PR-082, chegando em Ivaté, durante a madrugada (foto colaboração João de Paula)

Rodovias

Nas estradas da região também foram registrados estragos segundo a Polícia Rodoviária Estadual (PRE). Na PR-082, já chegando em Ivaté, diversas árvores caíram sobre a pista, interditando a rodovia entre às 4 e 7 horas. Foi preciso uma pá carregadeira para desobstruir a pista. O leitor do Ilustrado João de Paula mandou fotos e vídeos que mostram o tamanho do dano. Um caminhão quase chocou-se com a árvore.

Também na PR-082, mas no trecho entre Cianorte e São Tomé, próximo a curva da bica, também houve queda de árvore na pista. Os bombeiros e a PRE de Cianorte atuaram no local para a limpeza da estrada.

A pista da PR-082 ficou fechada nos dois sentidos por cerca de três horas até a retirada das árvores (Foto colaboração João de Paula)

Ventos fortes

Segundo o Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná – Simepar, em Umuarama os ventos chegaram a 42 km/h durante a madrugada, o que foi suficiente para deixar seis casas com danos em telhado provocados por por queda de galho de árvores.

Quedas de árvores

Na rua Montes Claros, no Jardim Global, uma árvore chegou a cair sobre o muro de uma residência e atingiu parcialmente o telhado.

Segundo a Defesa Civil os atendimentos ocorreram ainda na madrugada com a distribuição de lonas e telhas para as vítimas. Até o início da tarde, o relatório parcial era de que 25 árvores caíram no perímetro urbano da cidade. Também por causa das chuvas, alguns semáforos chegaram a parar de funcionar.

Região

Em cidades da região os ventos foram mais fortes, atingindo 60 km/h em Altônia, 87 km/h em Cianorte e 100 km/h em Assis e Palotina. Rajadas a partir de 50 km/h já são suficientes para causar estragos, segundo informado pelo Simepar.

Chuva

Ainda na Capital da Amizade entre a noite de quarta-feira (13) e até as 10 horas desta quinta-feira (14) havia chovido o equivalente a 44 milímetros. Com isso já se superou a média pluviométrica que é de 160 milímetros e ultrapassou os 200 milímetros de chuva registrados desde o dia 1º de outubro. Para esta sexta-feira há a expectativa de mais chuva, não se descartando a possibilidade de novo temporal.

Foto colaboração João de Paula