Policial

APERFEIÇOAMENTO

Rotam e Canil realizam treinamento de busca e captura no bosque do Índio

07/05/2019 16H28

APERFEIÇOAMENTO Rotam e Canil realizam treinamento de busca e captura no bosque do Índio
A ação simulada ocorreu em meio a mata e terminou apenas quando o figurante foi encontrado pelos cães e contido pelas equipes

Umuarama – As equipes de elite do 25º Batalhão da Polícia Militar, Rotam e Canil, realizaram na tarde desta segunda-feira (6) treinamento de busca e captura no interior do bosque do Índio, em Umuarama. O objetivo foi promover a integração das equipes e o aprimoramento dos dois cães de busca em uma situação simulada.
“Como são equipes que podem ser acionadas a qualquer momento, o treinamento também precisa ser constante”, salientou o comandante da Rotam do 25º BPM, tenente Namur Zandoná. As ações simuladas ocorrem ao menos uma vez por semana. Nesta segunda-feira foi possível reunir toda a equipe da Rotam e do Canil.

APERFEIÇOAMENTO Rotam e Canil realizam treinamento de busca e captura no bosque do Índio
As simulações são realizadas semanalmente pelas equipes especiais do 25º BPM

SIMULAÇÃO

A simulação envolveu 15 policiais e durou uma hora e meia. “Para chegarmos neste momento com os cães foram necessários dois anos de treinamento. A busca com cães é complexa e também ocorre devagar”, explicou o tenente Namur.
Um policial atuou no papel do fugitivo que se embrenhou na mata em uma simulação de captura. A ação terminou quando o figurante foi encontrado pelos cães Iron e Hulk e capturado pelas equipes especiais.
Namur explicou que a Rondas Ostensivas de Tático Móvel (Rotam) e Canil fazem parte do mesmo pelotão. “Todos os integrantes do Canil saíram de dentro da Rotam”, salientou.

APERFEIÇOAMENTO Rotam e Canil realizam treinamento de busca e captura no bosque do Índio
Os cães de busca Iron e Hulk tinham como missão encontrar o figurante que estava escondido dentro da mata

SITUAÇÕES DE RISCO

Tanto a Rotam quanto o Canil são acionados em situação de risco, como vistorias em cadeias e presídios, contenção de rebeliões, entre outras. Em Umuarama, a ação da Rotam foi fundamental para conter a invasão por vândalos ao complexo da 7ª SDP há dois anos e também para impedir uma fuga em massa de presos da cadeia local.
“O uso do cão gera um grande impacto psicológico. Apesar do cão agir somente sob comando, é um animal”, explicou o tenente Namur, com relação ao uso dos cachorros em situações de contenções.