Umuarama

Lembrança

“Rafael era mais que um filho, ele era meu amigo, meu companheiro”, conta sua mãe

15/02/2021 11H00

Rafael Leonardo Gonçalves, de 21 anos, faleceu no último domingo (7) devido as complicações da covid-19 associadas a outras patologias

Rafael Leonardo Gonçalves, de 21 anos, faleceu no último domingo (7) devido as complicações da covid-19 associadas a outras patologias. Os amigos definiam como um jovem, alegre, amoroso, cheio de vida e sonhador, mas acima de tudo um guerreiro, que vinha lutando contra uma doença rara há mais de quatro anos.

Morador de Santa Eliza, Rafael seguia sua vida de estudante cursando mecânica, além de participar do projeto Jovem Aprendiz na usina de moagem de cana-de-açúcar. Porém aos 17 anos, ele começou a ficar doente, sempre com sintomas de gripe e com várias idas e vindas dos os hospitais de Umuarama. Sem uma cura para os sintomas, Gonçalves foi diagnosticado com uma doença chamada Granulomatose de Wegener.

“Ele estava indo muito bem em sua vida, desenvolvendo e feliz com sua profissão que estava começando. Meu filho tinha uma inteligência que era fora do comum. Ele era o filho que toda mãe queria ter. Rafael era mais que um filho, ele era meu amigo, meu companheiro”, ressaltou a mãe do jovem, Neia Gonçalves.

GUERREIRO

Neia contou à reportagem do Umuarama Ilustrado que a doença afetou muito a vida do filho, que ao longo dos anos perdeu a função dos rins e também prejudicou os pulmões. “Não foi nada fácil para ele enfrentar essa doença. Ele foi pra hemodiálise, além de muitos internamentos. Mas mesmo nesta situação Rafael nunca reclamou, ele era um guerreiro e tinha muita vontade de viver. Meu filho lutou até o fim”, lembrou a mãe.

Em meio a roda de amigos ou familiares, todos lembram de Rafael como um rapaz sorridente e nāo deixava ninguém quieto. Ele gostava de fazer piadas com todos principalmente o tio Odair, que ele amava muito. “Mas semana passada meu filho começou a passar muito mal. Ele foi internado e logo entubado e veio diagnóstico de covid-19. Pude fazer uma visita e vi o sofrimento dele. Eu pedi pra ele segurar nas mãos de Deus e em seguida a máquina parou e ele se foi”, contou Neia em meio ao choro da mãe que perdeu o filho.

SONHO

A covid-19 não deu tempo para Rafael realizar seu maior sonho, que seria um transplante de rim, o que proporcionaria ao jovem um uma vida melhor. “A dor da nossa família é imensa, tomou um tamanho muito grande. Porém fica na nossa memória a imagem daquele jovem alegre e guerreiro, como exemplo de vida”, ressaltou a mãe Neia.