Cotidiano

KAWANE E RUBENS

“Quando o filho deles foi encontrado, já sabíamos que eles não voltariam”

18/09/2020 07H00

Alexandra Biguetti e Leia Grejanin estiveram na sede da 7ª SDP onde encontraram os suspeitos pela morte do casal

“Quando o filho deles foi encontrado, já sabíamos que eles não voltariam”. O lamento é de Alexandra Aparecida Biguetti, irmã de Rubens Biguetti Júnior, 29 anos, desaparecido desde o último dia 03 de agosto, juntamente com sua esposa, Kawane Grejanin Cleve, 23 anos. O filho do casal, de apenas três meses, foi deixado em uma calçada no Jardim Curitiba, em Goioerê, durante a noite, resgatado pela Polícia Militar e entregue a família.

JOIAS FURTADAS

Alexandra e a mãe de Kawane, Leia Grejanin, estiveram na sede da 7ª SDP de Umuarama na tarde de quarta-feira (16), onde fizeram o reconhecimento de joias, bolsas e outros objetos encontrados com um casal em Tapejara. O homem de 32 anos confessou o arrombamento e furto na residência de Kawane e Rubens, ocorrido no dia 05 de agosto, dois dias após o desaparecimento do casal. A esposa do preso é conhecida da família de Kawane.

INDIGNAÇÃO

“Ela vivia dentro da minha casa. Nunca esperava uma coisa dessa. E ainda negou na minha cara que não fez isso. Então as coisas da minha filha foram andando sozinhas para a casa dela. Meu sentimento é de indignação”, desabafou Leia.

FRENTE A FRENTE

As duas também estiveram frente a frente com os três suspeitos de participação no desaparecimento do casal. Os suspeitos foram presos durante a manhã de quarta-feira (16) em Umuarama e Tapejara. “Um deles me disse que não tinha motivo para matar meu irmão. Se tem ou não é a polícia que vai apurar. O que acreditamos é que a morte deles foi planejada. E acreditamos também no trabalho da polícia”, afirmou Alexandra Biguetti.

ENTERRO DIGNO

Ela e Leia ressaltaram que a maior preocupação no momento é encontrar os corpos de Kawane e Rubens. “Eu preciso encontrar a minha filha. Desde que isso começou nós não temos vida. Eu preciso encontrar a minha filha”, afirmou Leia. As famílias não têm mais a esperança de encontrar o casal com vida.

SUSPEITOS

Segundo o delegado encarregado do caso, Adaílton Ribeiro Júnior, até o momento há três pessoas presas provisoriamente por pelo menos 30 dias suspeitos de envolvimento com o desaparecimento e morte do casal. Um quarto homem, também consta na relação de suspeitos e foi preso em Tapejara por força de outro mandado de prisão pelo crime de furto.

ENVOLVIDOS

“Temos elementos para comprovar o envolvimento de todos os detidos até o momento, independente de termos os corpos ou não”, enfatizou o delegado. Segundo Ribeiro, todos devem ser indiciados por duplo homicídio qualificado e ocultação de cadáver.

RELEMBRE O CASO

Rubens Biguetti e Kawane Cleve desapareceram na noite de 03 de agosto, após o filho do casal ser encontrado enrolado em mantas, na calçada da rua Perimetral, no Jardim Curitiba, localizado na saída para Moreira Sales. Na manhã seguinte o veículo da família, um Honda Civic foi encontrado totalmente carbonizado a cerca de 25 km de Goioerê, na área rural de Moreira Sales.