Região

Empreendedorismo

Produção de horta orgânica de Xambrê renova certificado e mantêm qualidade

02/10/2021 10H57

A produção de horta orgânica vem proporcionando renda e saúde para o produtor Devanir Favoreto e sua esposa Elza Favoreto, como também, qualidade alimentar para seus clientes. Desde 2019 certificados pelo Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar), por meio do “Programa Paraná mais Orgânico” do Governo do Estado, na última semana eles tiveram o registro renovado.

A história dos agricultores com a agroecologia e introdução ao orgânico começou, na época, com apoio da então Incubadora de Empreendimentos Econômicos Solidários da Universidade Estadual de Maringá (UEM), campus Umuarama. Os produtores deixaram seus empregos na cidade em busca de qualidade de vida e também promover uma mudança no conceito alimentar dos possíveis clientes. “Nossa meta era trabalhar em algo nosso e minha esposa teve a ideia da horta sem agrotóxicos. Foram muitas pesquisas e procuramos assistência para aprimorar cada vez mais nossa produção”, informou.

Hoje a produção certificada de orgânicos de Devanir e Elza chega em toda região e principalmente nas feiras e delivery realizados em Umuarama, a 24 km de Xambrê. “Este é o terceiro ano que trabalhamos certificados. Desta forma temos que garantir todo o sistema e diretrizes para conseguir renovar o registro. Temos orgulho de trabalhar com o orgânico”, disse Favareto.

Luciana Ribeiro, da Emater de Xambrê, com os produtores Devanir Favoreto e sua esposa Elza Favoreto

Histórico

Em meados de dezembro de 2018, os agricultores receberam a visita do agrônomo Wellington Fernandes da UEM e que atuava no programa Paraná Mais Orgânico. O encontro foi uma prévia para a família Favoreto receber o certificado de produção orgânica, ou seja, hortaliças e legumes sem agrotóxico e adição de adubos químicos. “Devanir vem seguindo todos os requisitos para receber o certificado e agora vamos encaminhar a documentação para o Instituto de Tecnologia do Paraná (TECPAR), o qual mandará um auditor para fiscalizar a propriedade”, ressaltou Fernandes.

A um passo de receber o selo de produção orgânica, Devanir lembrou do caminho que traçou até agora. “Foram cerca de dois anos seguindo os requisitos para isso. Não foi fácil, mas também não é algo impossível. Queremos produzir vida e levar um produto saudável para nossos clientes”, enfatizou.

Em novembro de 2019 a certificação chegou e a A Emater de Xambrê, UEM e Tecpar desenvolveram o plano de trabalho integrado passando pelo estudo de caso da propriedade, pela adequação da documentação, auxiliando na pré-auditoria e, finalmente agendando a auditoria de verificação da conformidade orgânica realizada pelo Tecpar.