Policial

FEMINICIDIO

Preso suspeito de matar duas moradoras de rua em Umuarama

01/05/2019 20H39

FEMINICÍDIOS Preso suspeito de matar duas  moradoras de rua em Umuarama

Umuarama – A Polícia Civil prendeu na tarde desta quarta-feira (1º) um homem de 42 anos apontado como o matador de duas moradoras de rua de Umuarama. Os crimes ocorreram no intervalo de 9 dias.

O último homicídio foi descoberto no início da tarde de hoje quando populares encontraram o corpo de Miriam Januário Elias, 42 anos, embaixo de uma ponte na avenida Nova, próximo a Havan. A princípio se cogitou que a vítima teria pulado da ponte, hipótese descartada logo após o corpo passar por necropsia no Instituto Médico Legal (IML).

Segundo o delegado-chefe da 7ª SDP, Osnildo Carneiro Lemes, a causa da morte de Miriam Januário foi uma forte pancada na cabeça. A vítima teria sido morta entre o fim da tarde e início da noite de segunda-feira (29).

Ainda segundo o delegado, essa também foi a forma como a primeira vítima, Miriam Oliveira Marcolino, 50 anos, foi morta no último dia 21 de abril. O corpo foi encontrado próximo ao trevo do Gauchão, em um local usado por usuários de drogas, segundo a polícia.

FLAGRANTE PRESUMIDO

De acordo com o delegado, o suspeito nega os crimes, mas testemunhas e imagens de câmeras de segurança o colocam nas proximidades dos locais onde as mulheres foram mortas e também com as duas vítimas. “Ele nega, mas conseguimos testemunhas e imagens que comprovam que ele se encontrou com as vítimas nos dias dos crimes e em locais próximos onde elas morreram”, contou.

O suspeito foi autuado em flagrante presumido de feminicídio. “Essa hipótese tem previsão legal e ocorre quando fatos circunstanciais apontam para o autor do crime”, explicou Lemes. Ainda segundo o delegado-chefe, o homem manteria relacionamento íntimo com as duas vítimas e seria violento.

COINCIDÊNCIAS

“Sabemos que ele mantinha relação com a segunda vítima há mais de um ano e com primeira vítima há pelo menos quatro anos. Testemunhas apontam ele como um homem ciumento e que batia nas duas mulheres”, relatou o delegado.

As vítimas estavam com o braço direito quebrado segundo a polícia. “São muitas coincidências. O suspeito tem um defeito no braço direito e as duas vítimas tinham o braço direito quebrado”, contou o delegado. Outras semelhanças são os fatos das mulheres terem o mesmo nome, serem moradoras de rua e usuárias de entorpecentes.