Região

Região

Prefeituras da região fazem controle nas entradas e saídas da cidade

25/03/2020 09H46

Várias cidades na região de Umuarama estão adotando as barreiras de controle epidemiológico nas entradas e saídas como forma de aumentar a conscientização e o controle de quem está viajando. É o caso das cidades de Brasilândia do Sul, Pérola, Alto Piquiri, Cruzeiro do Oeste e São Jorge do Patrocínio, entre outras.

O presidente da Associação dos Municípios de Entre Rios (Amerios), marcio Marcolino, que é prefeito de Brasilândia do Sul, informou que a orientação é da Amerios e tem a finalidade de orientar a população sobre a necessidade da prevenção. Adotar a medida ou não ficou a critério de cada município. Na barreira ficam profissionais de saúde e outras áreas que fazem até a desinfecção dos carros em alguns casos, como Cruzeiro do Oeste, por exemplo. Em alguns casos também é feito um cadastro com ficha de triagem para saber a origem e destino das pessoas.

Comissões

Em outra decisão, os prefeitos da Amerios também criaram comissões internas para tratar de assuntos pontuais. Cada município indicou duas pessoas para as comissões de Saúde, Indústria e Comércio, além da área jurídica. Isso vai facilitar a tomada de decisões e os debates sobre o que estará ocorrendo em cada setor.

Alto Piquiri

O prefeito de Alto Piquiri, Luiz Carlos Cardoso, informou que foram fechadas as entradas de estradas secundárias no município e montada barreira de monitoramento no trevo principal, onde os carros são parados e se faz uma triagem verificando a temperatura de cada pessoa e se tem algum sintoma de gripe, de onde está vindo e se for de alguma área de risco ou ter alguns sintomas terá que ir para quarentena. Cardoso também pede para quem está cursando enfermagem ou técnica de enfermagem e queira participar como voluntário será muito bem vindo.

Municípios pode decidir

O ministro do Supremo Tribunal Federal Marco Aurélio Mello decidiu, nesta terça-feira, 24, que a Medida Provisória do presidente Jair Bolsonaro que dá ao Planalto poder sobre restrições de transportes “não afasta a tomada de providências normativas e administrativas” pelos governos estaduais e as Prefeituras. A decisão acolhe parcialmente um pedido do PDT contra trechos da MP. Editada na sexta-feira, dia 20, a MP 926 dá poder de controle ao governo federal sobre as limitações impostas ao deslocamento intermunicipal e interestadual, como o fechamento de portos, rodovias ou aeroportos, quando afetarem serviços públicos e atividade essenciais. Deputados da oposição decidiram solicitar à cúpula do Congresso Nacional a devolução da MP por entenderam que ela se sobrepôs a restrições ao transporte feitas por governadores, como o do Rio, Wilson Witzel (PSC), e o de São Paulo, João Doria (PSDB).