Umuarama

Mercado

Preço do litro do etanol dispara nos postos de combustíveis de Umuarama

14/10/2020 09H11

O preço do litro do etanol vem empreendendo uma escalada em Umuarama, após queda no mês de abril atribuída a pandemia do coronávirus. Em apenas uma semana, o valor do litro do combustível nas bombas da maioria dos postos de combustíveis da cidade apresentou duas altas, totalizando média de R$ 0,20 de reajuste.

No comparativo com a última pesquisa de preço do Procon de Umuarama enviada ao jornal Umuarama Ilustrado no dia 5 deste mês, a média do preço do litro do etanol era de R$ 2,90 e hoje –  no levantamento feito pelo Ilustrado – a média do combustível na cidade é de 3,09.

Entre os dias 6 e 7 da última semana, o valor do combustível já havia presentando reajuste de R$ 0,10 na cidade e com o anúncio da Petrobras de novo aumento no preço da gasolina, feito na última sexta-feira (9), o litro do etanol em Umuarama apresentou em média mais uma elevação de R$ 0,10, já no dia seguinte ao aviso feito pela estatal.

Com os novos preços, hoje o menor valor do litro do etanol em Umuarama é de R$ 3,00 – onde até o início de outubro era vendido a R$ 2,80 – e o maior valor na cidade é de R$ 3,18 – onde o valor era praticado a R$ 2,99 até o dia 1 de outubro. Entretanto, se buscar o preço médio do combustível praticado no mês de maio (R$ 2,49) o reajuste para o consumidor sobe para R$ 0,60.

GASOLINA e DIESEL

A Petrobras aprovou no dia 9 e entrou em vigor no dia 10 o reajuste médio de 4% no preço da gasolina em suas refinarias, o que equivale a R$ 0,07 por litro. O diesel também ficou 5% mais caro, o que equivale a 0,08 centavos.

Com o reajuste, o litro da gasolina passará a custar R$ 1,82 nas refinarias, enquanto o diesel, R$ 1,76. Após ser vendido pela Petrobras aos distribuidores, o combustível aumenta de preço até chegar ao consumidor final devido a impostos estaduais e federais, custos de distribuição e revenda e adição de biocombustível.

Segundo Agência Brasil, o preço praticado pela Petrobras em suas refinarias correspondeu, entre julho e agosto, a 30% do preço final da gasolina e a 49% do preço final do diesel vendidos nos postos de combustíveis. Ao divulgar os reajustes, a Petrobras informou que, ao longo do ano, os preços dos dois combustíveis acumulam queda. No caso da gasolina, o preço está 5,3% mais baixo que o de janeiro. Já o diesel vendido nas refinarias está 24,3% mais barato que no início do ano.

Entretanto, a queda apresentada pela Petrobras não chegou em Umuarama, pois em 1 de junho o preço médio do litro da gasolina na Capital da Amizade era de R$ 3,72 e hoje o menor preço do combustível é de R$ 4,37 e o maior R$ 4,49.

DEMANDA

Em entrevista a Agência Safra, o analista da consultoria Safras & Mercado, Maurício Muruci, ressaltou que os dados de forte demanda para o etanol em setembro puxaram os preços, motivando as usinas a elevarem suas pedidas. “Porém, antes disto a Petrobras já havia entrado em cena com mais um ajuste de alta na gasolina, na faixa de 3,98% em função dos ganhos do petróleo Brent ao longo desta semana. Neste contexto a expectativa é que ao longo da segunda semana de outubro o hidratado tenha fôlego para captar a região dos R$ 2,40 o litro em Ribeirão Preto”, diz o analista.