Policial

CASO DANIEL

Polícia prende mais 3 suspeitos de envolvimento em morte do jogador Daniel

08/11/2018 18H19

Polícia prende mais 3 suspeitos de  envolvimento em morte do jogador Daniel

A Polícia Civil do Paraná prendeu mais três suspeitos de participação na morte do jogador de futebol Daniel Corrêa, ex-atleta do São Paulo. São eles Igor King, 19, David Willian Villeroy da Silva, 18, e Eduardo Henrique Ribeiro da Silva, 19.

As prisões preventivas foram decretadas na quarta-feira (7), e Eduardo foi preso no mesmo dia. Já os outros dois estavam foragidos até a manhã desta quinta-feira (8), quando se apresentaram juntos à delegacia de São José dos Pinhais.

Daniel foi morto após uma festa na casa de Edison Brittes Júnior, conhecido como Juninho, que assumiu a autoria do crime e também está preso.

Igor e David são amigos de escola de Allana Brittes, filha de Juninho, e suspeitos de participação nas agressões ao ex-jogador durante a festa. Já Eduardo é namorado de uma prima de Cristiana Brittes, esposa de Edison.

Os três suspeitos estariam no carro de Juninho e são apontados por testemunhas como participantes do espancamento sofrido por Daniel.

Um dos advogados de Igor e David, Allan Smanioto, negou à RPC (afiliada da Rede Globo no Paraná) que os clientes estejam envolvidos no crime: “Eles não participaram da morte do jogador. Eles estavam no carro, mas da morte não participaram. Eles ficaram amedrontados.”

Ainda segundo Allan, eles não tinham a intenção de matar Daniel quando entraram no veículo. “Muitas pessoas bateram em Daniel, nossos clientes pediram que parassem”.

Outras três pessoas já foram presas preventivamente: Juninho, que confessou ter cometido o crime, sua esposa, Cristina, e sua filha Allana.

ENTENDA O CASO

Daniel Corrêa foi encontrado morto no último dia 27, em um matagal, após ter ido à festa de aniversário de Allana Brittes e a uma outra festa, na casa de Edison Brittes.

Brittes assumiu a autoria do crime e, em depoimento, disse que Daniel havia tentado estuprar sua mulher, Cristiana Brittes -a tese do estupro, no entanto, foi rechaçada pelos laudos da Polícia Civil do Paraná.

O jogador teria sido vítima de “armas brancas”, segundo o laudo oficial, e foi encontrado com ferimentos graves no pescoço. As três novas testemunhas no caso devem ser ouvidos ainda nesta quinta.

Revelado pelo Coritiba, Daniel Corrêa tinha 24 anos e teve passagens por Botafogo e São Paulo, time que o havia emprestado ao São Bento, que disputa a Série B do Campeonato Brasileiro.