Policial

CRIMES SEXUAIS

Polícia investiga denúncia de suposta importunação sexual contra professor

30/10/2019 09H58

A Polícia Civil está investigando uma denúncia de uma suposta importunação sexual realizada por um professor a um aluno de 16 anos de um Colégio Estadual de Umuarama.

ACUSAÇÃO

A acusação foi formalizada na sexta-feira (25) pela família do adolescente junto a Patrulha Escolar Comunitária. O assédio teria ocorrido através de troca de mensagens em aplicativo entre o aluno e o professor, dois dias antes, no dia 23. A família procurou a diretora do colégio, que acionou a polícia, segundo o comandante da Patrulha Escolar em Umuarama, 1º sargento Sérgio Lopes Rodrigues.

PROPOSTA

Segundo o sargento Sérgio, a vítima relatou que o professor o chamou pra conversar no What’sApp e durante a conversa fez propostas de cunho sexual ao adolescente. “O professor disse que pagaria à vítima uma viagem para Maringá, a qual a vítima fará com sua turma escolar”, explicou o sargento. Ainda segundo a polícia, o professor seria um dos responsáveis pela viagem. As mensagens foram entregues para a polícia.

DEPOIMENTOS

De acordo com o delegado-chefe da 7ª SDP, Osnildo Carneiro Lemes, agora a polícia vai ouvir o depoimento da vítima e de seus pais e na sequência irá ouvir o professor. O nome dos envolvidos está sendo preservado por causa da natureza do crime, que a princípio seria de importunação sexual, segundo a polícia.

SEED

O Ilustrado entrou em contato com o Núcleo Regional de Educação de Umuarama (NRE) que remeteu a questão para a Assessoria de Imprensa da Secretaria de Estado da Educação em Curitiba. Apesar do Jornal Umuarama Ilustrado ter solicitado por telefone e via e-mail uma posição a respeito do caso, até as 19 horas não obteve resposta. O questionamento é para saber se o profissional continua em sala de aula no Colégio Estadual Vereador José Balan e se há outras denúncias similares em desfavor do professor.

COLÉGIO

O Ilustrado também entrou em contato com a direção do Colégio Estadual Vereador José Balan, mas foi informado pela diretora auxiliar que não poderia se manifestar porque o caso ocorreu fora de seu turno de trabalho.