Cotidiano

Investigação

Polícia Civil de Umuarama realiza operação para desarticular o “Disque-Droga”

11/09/2020 10H19

A Polícia Civil de Umuarama deflagrou na manhã desta sexta-feira (11) a Operação Narcos, desencadeada para cumprir mandados de busca e apreensão domiciliar a suspeitos de integrar uma quadrilha de tráfico de drogas.

Conforme informações da Polícia Civil, o objetivo da operação é a coleta de provas para desarticular um grupo que supostamente vem realizando a venda de drogas pelo sistema “disque-drogras” e também abastecendo festas raves na cidade de Umuarama.

Ao todo cinco residências foram alvos da operação, já que um dos investigados possui dois endereços na cidade. Os suspeitos alvos desta operação foram identificados como P.H.D.S (23 anos), M.MC.D.S (22 anos), P.H.D.A (26 anos) e T.G.M (25 anos).

AÇÃO

Conforme nota da Polícia Civil, durante o cumprimento dos mandados foram apreendidos quatro aparelhos celulares e uma arma de ar comprimido aparentemente adaptada para disparo de outro calibre. A arma será encaminhada à perícia para apuração de eventual adulteração. Já os celulares serão encaminhados ao Núcleo de Inteligência da Polícia Civil de Umuarama para análise e extração de dados, que reforçarão as investigações em curso.

FICHA CRIMINAL

Os indivíduos qualificados como P.H.D.S (23 anos) e M.MC.D.S (22 anos) já foram presos este ano pela Polícia Civil de Umuarama, no dia 16/03/2020, pois estavam transportando aproximadamente um quilo de substância análoga à cocaína em um veículo Jeep Renegade.

INVESTIGAÇÃO

O delegado Gabriel Menezes, os mandados cumpridos são resultado de uma investigação desenvolvida pelo Grupo de Diligências Especiais de Umuarama há vários meses. Durante o trâmite do inquérito policial foram levantadas diversas informações sobre o envolvimento dos suspeitos com o tráfico de drogas na cidade de Umuarama.

Ainda conforme Menezes, nenhum dos quatro alvos da operação ficará preso, pois, como dito, o objetivo da operação foi a coleta de provas. Durante as diligências o GDE deu cumprimento a um mandado de prisão por regressão de regime em desfavor de L.C.B (62 anos), mas esse mandado de prisão não possui relação com a Operação Narcos, sendo cumprido hoje apenas por questão de logística operacional.