Policial

AÇÃO RÁPIDA

PM prende ladrões que quebraram ‘a bala’ vitrine de joalheria

04/09/2018 00H20

A Polícia Militar prendeu no fim da tarde de segunda-feira (3) dois suspeitos de terem quebrado com um tiro a vitrine de uma joalheria na avenida Tiradentes, em Umuarama, cerca de cinco horas antes. Com os criminosos foram apreendidas um revólver, semijoias roupas e tênis usadas pelos ladrões no momento do crime.

Segundo o comandante da Rotam, tenente Namur Zandoná, a polícia chegou até aos suspeitos após uma denúncia anônima feita ao número 190. “Estávamos atrás dos criminosos desde o momento do furto. Quando chegou a denúncia, uma equipe da P2 (serviço reservado) foi até o local fazer a verificação e na sequência acionaram a Rotam que fez a abordagem”, explicou Namur.

ABORDADOS EM CASA

Os suspeitos, um homem e um adolescente de 16 anos, foram abordados em casa, nos jardins Carolina e Iguaçu. O primeiro, um homem de 23 anos, estava com uma moto Honda Biz vermelha e um revólver, que segundo a PM foram usadas no crime. O suspeito também esta com a mão ferida. “Ele confessou o furto e ainda indicou a casa do comparsa”, explicou Namur.

Segundo a PM, o suspeito faz uso de uma tornozeleira eletrônica. O homem teria tentado driblar o sistema de monitoramento com o papel alumínio. “Mas ele não fez direito e o sinal transmitiu normalmente”, afirmou o tenente. Segundo o próprio suspeito, ele responde a um assalto. Na casa do adolescente a Rotam encontrou as semijoias além do tênis e de uma calça jeans.

Ambos foram levados para a sede do 25º BPM e após encaminhados para a 7ª SDP, onde foram autuados em flagrante pelo crime de furto qualificado e ato infracional análogo a furto qualificado.

 

O CRIME

Dois homens armados quebraram com um tiro a vitrine de uma joalheria por volta das 12h30 de segunda-feira (3), na avenida Tiradentes, em Umuarama. A ação foi gravada em vídeo e durou cerca de dez segundos, segundo a polícia. Os criminosos fugiram após levar algumas peças de semijoias que estavam expostas. Apesar do susto, ninguém ficou ferido.

GRANDE SUSTO

Segundo relato das funcionárias, tudo foi muito rápido. “Estava nos fundos da loja quando ouvi o tiro. Parecia o estouro de um rojão. Na sequência percebi que era tiro e já me abaixei. Dai não vi mais nada. Ainda bem que não tinha ninguém próximo a vitrine”, relatou uma das funcionárias.

Ela disse que com o buraco aberto na vitrine pelo tiro um dos criminosos pegou algumas peças da vitrine. “Na segunda vez que ele fez isso cortou a mão”, contou. Após a ação, os ladrões fugiram em uma Honda Biz vermelha estacionada pouco abaixo.

Essa foi a terceira fez que a empresa é assaltada. “Da outra vez havia 30 dias que tínhamos trocado a vitrine quando fomos assaltados novamente”, explicou outra colaboradora. O valor do prejuízo ainda não havia sido calculado.

FURTO QUALIFICADO

Segundo o delegado operacional da 7ª SDP, Thiago Soares, o furto qualificado foi muito rápido e no local a polícia recolheu uma cápsula de revólver. Ele explicou que apesar dos criminosos terem usado arma de fogo e efetuado um disparo, não houve a invasão do prédio e nem a agressão de vítimas de forma direta. “O disparo foi efetuado de fora do estabelecimento e na vitrine. Eles não chegaram a entrar na joalheria”, explicou.