Umuarama

ECONOMIA FORTALECIDA

Plusval vai investir mais de R$ 400 milhões em Umuarama até 2022

19/05/2021 12H11

Jornal Ilustrado
Foto arquivo

Gerar empregos, renda e impostos que serão revertidos em benefício à comunidade é um dos compromissos mais assumidos e buscados por uma boa gestão pública. Em Umuarama, isso vem se tornando realidade com parcerias como a feita com a Plusval, que entre recursos próprios e de parceiros comerciais já investiu mais de R$ 200 milhões em Umuarama e região nos últimos dois anos e prevê chegar a cifra de R$ 400 milhões até 2022.

A informação foi repassada em primeira mão pelo gerente-geral da unidade local da Plusval, Rodrigo Francisco e pelo expansionista da empresa, Luiz Paulo de Oliveira, durante reunião com o prefeito da Capital da Amizade, Celso Pozzobom, na manhã desta quarta-feira. O abatedouro, que sustenta a marca Levo Alimentos, gera atualmente 1.200 empregos diretos e pretende dobrar a quantidade ainda no próximo ano.

Mais frangos e granjas

“Hoje o nosso gargalo é a falta de frangos”, explicou Rodrigo Francisco. Atualmente a empresa abate 80 mil aves/dia, mas está buscando parcerias com produtores rurais da região para criar uma estrutura que permita mais do que dobrar a capacidade e chegar a 200 mil aves/dia.

Para ter essa cadeia produtiva regionalizada a empresa conta atualmente com 150 granjas produtores de aves de corte, está com mais de 55 em construção e precisa ainda de ao menos 100 novos aviários. E para garantir que o pintainho chegue até cada um desses produtores está investindo também nas chamadas granjas matrizeiras (responsáveis por manter as galinhas poedeiras) e em chocadeiras.

Jornal Ilustrado
Foto de arquivo

Investimentos

O investimento mais alto é justamente da estrutura das matrizeiras, estimado entre R$ 7 e R$ 8 milhões. Esse recursos é levantado pelo produtor rural, através de linhas de crédito em instituições bancárias.

“Estamos desde o início buscando produtores parceiros e pelo valor necessário não está sendo fácil. Precisamos de oito unidades destas e até o momento temos 3 núcleos em produção, 3 em construção e 2 em prospecção”, explicou Luiz Paulo de Oliveira, expansionista da Plusval e responsável pela viabilização das parcerias entre a empresa e os produtores rurais.

Busca da regionalização

Segundo Luiz Paulo de Oliveira, a empresa atua num raio de 60 km no entorno de Umuarama. Enquanto a teia de fornecedores não fica pronta, essas matrizeiras estão concentradas em outras localidades, como Roncador (região Central) e Dois Vizinhos, no extremo Oeste do Paraná. “Queremos reduzir custos com a redução de distâncias por isso investir em Umuarama e nos municípios do entorno”, explicou o expansionista.

Entre os parceiros rurais está o produtor e atual prefeito de Umuarama, Celso Pozzobom, que há mais de um ano resolveu abraçar a ideia em sua propriedade em Perobal, onde há mais de 40 anos cria gado e cultiva soja.

Ele salientou que a decisão foi tomada por dois motivos: dificuldades da Plusval em conseguir parceiros no primeiro momento e a necessidade de diversificação da sua propriedade rural. O investimento foi feito 100% através de financiamento bancário através do Sicredi para ser saldado nos próximos 10 anos.

Jornal Ilustrado
Foto arquivo

Geração de emprego e renda

“Quando a matrizeira estiver em funcionamento vai ter a capacidade de produzir 1 milhão de ovos/mês. Depois são esses mesmos pintainhos que vão para o abate na unidade da Plusval aqui em Umuarama, gerando o emprego e a renda aqui. Na minha propriedade deve chegar até 10 empregos, aqui em Umuarama, esse número vai corresponder a 200 a 300 vagas a mais que hoje não existem”, argumentou Pozzobom.

Mais dinheiro circulando

Quando o abatedouro de aves chegar a capacidade máxima de produção vai exigir a implantação de dois turnos, abrindo novas oportunidades de trabalho e também aumentando o dinheiro em circulação na cidade, que tem uma de suas bases econômicas justamente no comércio e na prestação de serviços.

A estimativa que passem a ser injetados na economia local mais de R$ 4 milhões mensais, considerando que o menor salário pago pela empresa corresponde a um salário-mínimo regional, que esse ano chega até a R$ 1.696,20. Neste momento, somente a folha de pagamento da empresa é responsável pelo incremento de mais de R$ 2 milhões/mensais em circulação.

Jornal Ilustrado

Incremento da economia

“Se considerarmos toda a cadeia envolvida, que ainda passa por prestadores e serviços e de fornecedores locais que usamos, que vão desde um eletricista, comércio e até hotéis e restaurantes, esses valores são mais significativos”, explicou o gerente-geral da Plusval Umuarama, Rodrigo Francisco.

A estrutura hoje ocupada pela Plusval pertencia a Averama, que quando fechou as portas implicou em uma perda de receita ao Município de R$ 4,5 milhões ao ano, através do Imposto Sobre a Circulação de Mercadorias (ICMS).