Policial

Investigação

PCPR deflagra operação contra crime organizado em Alto Paraná e região

25/09/2019 12H59

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) cumpriu 106 ordens judiciais, entre mandados de prisão e busca e apreensão domiciliar, durante uma operação batizada como “Tríbus”, deflagrada nesta quarta-feira (25). O objetivo da ação é combater o crime organizado, que atua a partir do município de Alto Paraná, no Noroeste do Estado.

Conforme apurado, os alvos atuam em três núcleos criminosos, que estendem suas ações por São João do Caiuá, Paranavaí, Paranacity, Inajá, Marilena e Cruzeiro do Oeste, municípios da região Noroeste do Paraná, bem como em Nova Esperança, no Norte, em Guaíra, no Oeste, Dois Vizinhos, no Sudoeste e em Pedreiras, no Estado de São Paulo.

Ao todo, a PCPR cumpriu 55 mandados de prisão, sendo 20 deles dentro de cadeias e unidades prisionais do Paraná. Os demais foram cumpridos em municípios do Noroeste, Norte, Oeste e Sudeste do Estado.

Os 51 mandados de busca e apreensão foram cumpridos nas mesmas regiões e resultaram na apreensão de um veículo, arma de fogo, dinheiro em notas diversas, celulares e porções de maconha, crack e cocaína. Três pessoas foram presas em flagrante, duas delas por tráfico de drogas e outra por posse ilegal de arma de fogo.

De acordo com as investigações, os líderes dos grupos criminosos agiam de dentro de sistemas prisionais do Estado. Eles recrutavam, em sua maioria, adolescentes para revender drogas e cometer furtos e roubos de automóveis e motocicletas em Alto Paraná e cidades vizinhas. Os veículos eram trocados por entorpecentes em cidades paraguaias e próximas à fronteira.

A operação foi batizada como “Tríbus”, vem do latim, da palavra “tríade”, que significa um conjunto de três elementos. É uma alusão as três entidades criminosas descobertas no curso das investigações da PCPR e desmantelada durante a operação.

Os investigados responderão por organização criminosa, tráfico de drogas, associação para o tráfico de drogas, furto qualificado, roubo e homicídio. Todos eles encontram-se presos à disposição da Justiça.