Umuarama

Natal Off

Papai Noel de Umuarama fica emocionado ao ver sua casa vazia na Hênio Romagnolli

24/12/2020 07H30

Durante 18 anos vivendo o Papai Noel de Umuarama, Antônio Codato, de 72 anos, nunca deixou de colocar sua roupa vermelha para alegrar as crianças e adultos na praça Hênio Romagnolli. Mas, a pandemia do coronavírus apagou a essência do “bom velhinho” e com muita tristeza no coração o umuaramense este ano não viveu o personagem.

Homem simples e de fala mansa, na última semana, Antônio Codato se transformou no Papai Noel para receber a reportagem do jornal Umuarama e com voz embargada e olhar triste contou como 2020 marcou a não saída do bom velhinho para alegrar os umuaramenses. “Durante todos esses anos nunca aconteceu algo desse jeito, sempre me transformei no Papai Noel. É muito triste viver isso”, disse.

Ao visitar a casa na praça Hênio Romagnolli, onde tradicionalmente são realizadas atividades no período do Natal em Umuarama, Antônio não resistiu e a emoção aflorou, para ele o que mais pesa é não ver os sorrisos e a alegria das crianças. “Ninguém esperava isso, queria estar na praça recebendo as crianças e vendo a felicidade delas, é um sentimento muito ruim”, desabafou.

Mesmo sentindo a falta de viver o Papai Noel de Umuarama, Codato entende a situação pandêmica que o mundo passa e pediu para todos seguirem as recomendações de prevenção ao coronavírus. “Não vamos aglomerar, use a máscara e o álcool em gel. Podemos sair dessa mais fortes, mas para isso precisamos pensar no próximo”, argumentou.

História

Morador de Umuarama há 60 anos, Codato conta que se transformou em Papai Noel por acaso. Foi após populares do bairro Ouro Preto, onde mora, notarem que ele tinha o perfil do bom velhinho e com barba natural, o que quase nenhum deles tem. “Recebi o primeiro convite por conhecidos que realizavam uma festividade de fim de ano no bairro. Eles diziam que eu tinha a aparência do velhinho; gordo e barbudo, aí já viu né”, brincou.

Na época ele trabalhava na construção civil e não pensou duas vezes em aceitar o convite. Desde então nunca mais parou. São 18 anos atuando como Papai Noel no período natalino.

Momentos marcantes

O Papai Noel diz que os momentos mais marcantes na sua atuação nesses 14 anos foram as visitas aos idosos do Lar São Vicente e aos alunos da Apae. “As pessoas e lugares que visito no Natal me marcam muito. Mas, esses dois lugares me marcaram de forma diferente. Ver a inocência e a alegria em seus rostos apesar das limitações deles me marcou muito. Momentos que ficarão marcados em minha vida”, disse.

Financeiro

Antônio Codato vê o trabalho de Papai Noel como uma missão e neste ano, além de não poder levar a alegria para os umuaramenses, ele também teve o financeiro afetado. Sem poder fechar contrato com visita em residência e o atendimento na casa do Papai Noel, Antônio e sua esposa Maria Aparecida Codato vão ter uma ceia magra. “Sou aposentado, mas com um salário a gente não faz quase nada”, disse.