Cotidiano

Corupção

Operação Jaborandi investiga irregularidades em processos licitatórios de obras públicas

26/10/2021 10H08

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (26) a Operação Jaborandi, que investiga crimes de corrupção envolvendo prefeitos, servidores públicos e empreiteiros de diversos municípios da região oeste do Estado do Paraná. Os policiais voltaram a passar pela Prefeitura de Umuarama e na casa do prefeito afastado Celso Pozzobom.

Segundo advogado de defesa de Pozzobom, o prefeito foi intimado para depor na delegacia de Polícia Federal de Guaíra no próximo dia 9 de novembro. Na casa de Celso foi realizado mandado de busca e apreensão, porém segundo advogado, nada foi recolhido.

NOVA OPERAÇÃO

A operação Jaborandi não remete a operação Metástase, que apura crimes contra a Saúde. Na ação desta terça-feira (26), cerca de 120 policiais federais cumprem 28 mandados judiciais em sei municípios dos Estados do Paraná e um do Pará, após denúncias de irregularidade em processos licitatórios, para contratação de empreiteiras, as quais realizariam obras da administração pública.

Os municípios são: Umuarama, Boa Vista da Aparecida, Perobal, Três Barras, Santa Helena e Guaíra e Uruará no Paraá. A ação dá continuidade na investigação que começou há cerca de um ano, após denúncias de que empreiteiros estariam se reunindo com chefes dos poderes executivos para fraudar o caráter competitivo de procedimentos licitatórios e envolvendo o setor de obras de municípios da região.

Segundo assessoria da Polícia Federal, ao longo das investigações foi possível identificar ao menos duas organizações criminosas com atuações dentro das administrações públicas, as quais, se reuniam para direcionar licitações a empresários integrantes do grupo, superfaturar seus valores e posteriormente pulverizá-los entre os agentes públicos e empresários que participavam do esquema.

CRIMES

Os investigados, na medida de suas participações, poderão responder pelos crimes de corrupção ativa, corrupção passiva, fraude ao caráter competitivo de procedimento licitatório, organização criminosa e lavagem de dinheiro, cujas penas, somadas, podem chegar a 62 anos de reclusão.

ESTRADA JABORANDI

O nome da operação faz referência à estrada Jaborandi, localizada no município de Umuarama/PR, sendo uma das primeiras obras que originaram a investigação.

NOTA DA PREFEITURA

O prefeito em exercício Hermes Pimentel recebeu os investigadores na Prefeitura de Umuarama e lamentou o envolvimento de Umuarama em mais esta ação da Justiça.

“É uma triste surpresa, mais um escândalo com desvio de dinheiro público. Com isso a administração municipal só perde credibilidade”, comentou.

Pimentel acompanhou os investigadores no Gabinete e no setor de Licitações, fornecendo as informações solicitadas, e esclareceu que seu desconhecimento com relação às investigações se deve ao fato de não ter participado da gestão nos quatro primeiros anos do governo de Celso Pozzobom.

“Não aceitaram minha participação, não tive nem espaço para me instalar na Prefeitura como vice-prefeito e nem acesso às decisões do gabinete. Por isso, recebo com surpresa mais esta operação”, declarou. “Espero que tudo seja esclarecido para que possamos recuperar a confiança na administração e dar tranquilidade à população para que a cidade possa seguir o ritmo e continuar o seu desenvolvimento”, finalizou.