Cotidiano

CASO DE POLÍCIA

Operação conjunta flagra 14 animais em situação de maus tratos em Umuarama

15/02/2021 19H15

Pelo menos 14 animais acabaram recolhidos a SAAU por causa de maus tratos (foto divulgação Polícia Ambiental)

Pelo menos 14 cães em situação de maus tratos, sendo nove filhotes recém-nascidos, foram apreendidos na manhã desta segunda-feira (15) em Umuarama, durante uma operação conjunta das Polícias Ambiental, Civil, Secretaria Municipal do Meio Ambiente e com o apoio da Sociedade de Amparo aos Animais.

Os animais foram recolhidos a SAAU e passaram por avaliação de uma médica veterinária e possivelmente posteriormente serão castrados e colocados para adoção.

Animais foram encontrados amarrados e sem alimentação (foto divulgação Polícia Ambiental)

Flagrantes

Dois homens e uma mulher chegaram a ser conduzidos para a delegacia da Polícia Civil. Apenas um homem foi preso em flagrante acusado de abuso e maus tratos com pena prevista de dois a cinco anos.

Segundo o delegado adjunto da 7ª SDP, Gabriel Menezes o flagrante foi encaminhado a Justiça que avaliará a manutenção da prisão ou não. Já o casal foi liberado por não ter caracterizado a situação de maus tratos, segundo o delegado.

Maus tratos

Segundo nota emitida pelo tenente Voltolini, comandante do Pelotão da Polícia Ambiental de Umuarama, as denúncias verificadas foram feitas pelo canal 181, além do canal de atendimento da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, totalizando 15 denúncias atendidas durante a operação.

Felizmente muitas das denúncias não se caracterizaram como maus tratos, cabendo apenas orientação aos proprietários dos animais quanto a melhoria dos cuidados e mudanças possíveis a serem realizadas visando o bem-estar animal”, enfatizou por nota o tenente.

Desnutridos

Segundo a presidente da SAAU, Ana Polaquini, os animais recolhidos estavam desnutridos, a maior parte mantida presa de forma inadequada, sem água e comida, além de estarem no tempo.

Filhotes

A cachorra que estava com os nove filhotinhos estavam no tempo. A cadela estava desnutrida e todos expostos a chuva e a sol, sem qualquer forma de proteção”, explicou. O flagrante foi feito em uma residência no Parque D. Pedro II. Segundo Polaquini a cachorra seria da raça pit bull.

De acordo com a presidente da SAAU a entidade recebe em média de 30 a 40 denúncias por mês. Os casos mais frequentes são de espancamentos, seguidos de manutenção em condições impróprias, como sem água e comida, sem abrigo do tempo ou preso.

Canais de denúncias

As denúncias podem ser feitas pelo telefone 181 da polícia, para o What’sApp da SAAU o 99945-8902 e Secretaria Municipal de Meio Ambiente.