Policial

Segurança Pública

Oito delegacias da região têm pedidos de interdição parcial, aponta MP

04/11/2019 09H17

Um total de oito delegacias de polícia da região de Umuarama estão com pedidos de interdição parcial da cadeia pública, conforme levantamento apontado pelo Grupo de Atuação Especializada em Segurança Pública (GAESP) do Ministério Público. Deste total, cinco das unidades compõem a área de atuação da 7ª SDP, incluindo a sede, Umuarama.

Estão ainda com processos desta natureza Pérola, Goioerê, Iporã e Cruzeiro do Oeste, que está totalmente interditada há mais de dois anos. Os presos em flagrante são encaminhados para a Penitenciária Estadual de Cruzeiro do Oeste (Peco).

Outras comarcas onde o Ministério Público também ajuizou ação civil pública pedindo providências são Cidade Gaúcha, Terra Roxa e Guaíra.

INTERDIÇÕES

Em todo o Paraná são 103 ações protocoladas nos últimos 12 anos. Em 75% dos casos os processos ainda estão na fase de conhecimento, ou seja, não tem sequer uma sentença de primeiro grau. Os dados foram divulgados esta semana através do relatório Interdições e Judicializações de Unidades Prisionais – Plataforma de Gestão do MP.

Segundo o relatório, em todo o Estado 29 unidades prisionais já estão totalmente interditadas e sete parcialmente. O número é relativamente pequeno diante do universo que abrange 78 comarcas e 113 unidades de segurança pública.

UMUARAMA

Em Umuarama há a previsão da construção de uma Casa de Custódia com capacidade para abrigar 750 presos provisórios, ou seja, sem condenação. O processo está em fase de projetos e a expectativa é que a licitação seja aberta até o início de 2020. Após a conclusão desta etapa, são dois anos para a conclusão da obra.

Independente da construção de uma nova estrutura para abrigar presos, o delegado-chefe da 7ª SDP chegou a pedir a interdição imediata da atual cadeia após duas bananas de dinamites serem apreendidos no interior da unidade, que fica anexo ao prédio da delegacia.

Na última apreensão foi encontrado mais de um quilo de explosivo que seria suficiente para explodir toda a área do complexo da 7ª SDP que abriga ainda os institutos de Identificação, Criminalística e Médico Legal.