Umuarama

PET ILUSTRADO

O adestramento permite a comunicação entre tutores e seus animais de estimação

30/11/2020 10H48

adestramento_cao_umuarama

Os animais de estimação são membros das famílias e isso não é de hoje. Porém, o espaço dos nossos amiguinhos de quatro patas vem diminuindo, se comparado há quando vivíamos em casas com quintais e em propriedades rurais. Essa situação começou a gerar atrito no convívio diário entre ser humano e animais de estimação, por isso, educar e adestrar é o meio mais tranquilo para amenizar os problemas.

Conforme o adestrador profissional da K9 Umuarama Adestramento e cinotécnico da Corpo de Bombeiros de Umuarama, Marcelo José Revesso do Silva, dentro do adestramento existem duas vertentes as quais os tutores precisam entender, sendo a parte de educação canina que trata do controle geral do cão e a parte de adestramento, a qual trabalha com os comandos específicos. “Se o tutor dedicar 15 minutos diários de atenção ao cachorro já é possível ter um método de adestramento. O cão e o tutor precisam de rotinas diárias, que incluem passeios, a educação e os exercícios de adestramento”, ressaltou.

Conforme o adestrador, o cachorro está inserido no contexto familiar, mas ele não deixou de ser um cão e os instintos não podem ser retirados dele. “O cachorro não é um mini-humano, ele vai latir, vai fazer buraco e caçar, pois ele tem suas necessidades e temos que respeitar isso. O seu animal de estimação está em um ambiente que não é próprio dele e por isso temos que entender que não é legal tentar pensar o cachorro com a cabeça de um humano. O cachorro é feliz sendo cachorro e não sendo um humano”, explicou.

adestramento_umuarama_k9_pet

Ainda segundo Revesso, este pensamento não excluir proporcionar carinho ao seu pet, mas entender seu animal de estimação para começar a dialogar com ele. “Com os treinos de obediência você vai ter um cão adestrado para toda vida. Ao fazer o trabalho de base do adestramento e com o reforço positivo, o animal e o tutor vão codificando uma comunicação direta. Depois que a comunicação é estabelecida, vem a tão sonhada obediência. Para trabalhar com o cão a pessoa precisa ficar atenta a três princípios: a liderança, controle e obediência”, ressaltou.

DICAS DO ADESTRADOR

O adestramento e educação canina podem ser iniciados a partir dos 60 dias após o nascimento do filhote, quando normalmente ele entra no ambiente familiar. Neste momento existe a possibilidade de ensinar a fazer as necessidades em local adequado. “Quando maior, pode ser inserido o exercício físico de educação, o enriquecimento ambiental, atenção na hora de dar comida e a parte de liderança. O adestramento tem um período para começar, mas a educação não tem tempo para terminar”, enfatizou Revesso.

Na questão do exercício de educação, a dica do entrevistado é evitar as guias peitorais e reforçar positivamente o pet, quando ele demostrar o comportamento correto. “O dono tem que ser um líder efetivo e não um carrasco. O animal não pode tomar conta do espaço da casa e existem exercícios para isso. Por isso, quando existir um problema estabelecido é importante procurar a ajuda de um profissional qualificado para detectar qual é o problema”, disse o adestrador.