Política

SEM EXÉRCITO NAS RUAS

Mourão acha ‘difícil’ que Forças Armadas sejam usadas contra decretos estaduais

27/04/2021 11H17

São Paulo e Brasília (AE) – O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou que as declarações do presidente Jair Bolsonaro, sobre o uso da Forças Armadas para combater decretos estaduais de restrição da circulação do novo coronavírus, são uma resposta “ao que Bolsonaro imagina” sobre o possíveis distúrbios. “Ou talvez baseado em outras informações que eu não disponho de iminência de graves distúrbios públicos, como saques a supermercados, bloqueios de ruas, avenidas ou estradas por uma população, vamos dizer assim, revoltada contra certas atitudes”, completou.

Neste fim de semana, o presidente Jair Bolsonaro afirmou ao apresentador Sikêra Jr., do <i>Alerta Nacional</i>, que o governo tem um plano de “como entrar em campo, não para manter o povo dentro de casa, mas para restabelecer todo o artigo 5º da Constituição”.

Durante transmissão promovida pelo <i>Valor Econômico</i> nesta segunda-feira, 26, Mourão avaliou ser “difícil” que aconteça uma situação de calamidade social e consequente uso das Forças Armadas.

Segundo o vice-presidente, existe “um desconhecimento muito grande por parte da elite pensante brasileira” sobre como atuam as Forças Armadas. “Aqui, quem serve ao Exército é o escalão mais baixo da sociedade. Esse nos conhece. Os escalões mais altos não nos conhecem”, disse.

“As Forças Armadas são instituições nacionais, permanentes. A hierarquia e a disciplina são extremamente caras para elas e elas são muito conscientes da missão que está na Constituição”, completou o vice-presidente ao citar a defesa da Pátria, a garantia dos Poderes Constitucionais e a garantia da Lei e da Ordem.

‘Não estiquem a corda mais do

que está esticada’, diz Bolsonaro

O presidente da República, Jair Bolsonaro, voltou a indicar nesta segunda-feira, 26, que pode recorrer às Forças Armadas para impedir a adoção de medidas restritivas nos Estados. Ao alertar para que “não estiquem mais a corda” em relação às ações de governadores e prefeitos, Bolsonaro também voltou a citar que o Supremo Tribunal Federal (STF) garantiu autonomia para os governos locais decidirem sobre as ações de combate à crise sanitária.

“É inconcebível os direitos que alguns governadores e prefeitos tiveram por parte do Supremo Tribunal Federal. É inconcebível. Nem estado de sítio isso aconteceria no Brasil. Não estiquem a corda mais do que está esticada”, disse o presidente da República em entrevista à imprensa durante passagem pelo município de Conceição do Jacuípe, na Bahia.

“As Forças Armadas estão aí para garantir a lei e a ordem e para cumprir integralmente a nossa Constituição. Eu te devolvo a pergunta: estão ferindo o artigo 5º da Constituição ou não?”, indagou ao ser questionado sobre o uso de militares para impedir toques de recolher, possibilidade mencionada pelo Chefe do Executivo na semana passada.

Na entrevista, Bolsonaro também afirmou não estar preocupado com as eleições de 2022. “Não estou preocupado com 22. Vinte e dois é outra história, se eu me preocupar com política eu não trabalho. A Bahia que vai escolher seus futuros representantes aqui”, disse.