Cotidiano

CASO KAWANE E RUBENS

Mesmo sem corpos, polícia pode concluir inquérito de casal desaparecido em Goioerê

30/09/2020 06H50

Delegado Adaílton Ribeiro Júnior confirma que pode concluir inquérito, mas busca por casal continuar

A Polícia Civil pode concluir nos próximos 15 dias o inquérito que apura o desaparecimento e possível morte do casal Kawane Grejanin Cleve Machado, 23 anos e seu esposo, Rubens Aparecido Biguetti Júnior, 29 anos, mesmo que os corpos não sejam encontrados. No próximo sábado (3) completa 60 dias que o casal foi visto pela última vez por amigos e familiares.

BUSCAS

A informação foi confirmada na tarde desta terça-feira (29) pelo delegado encarregado das investigações Adaílton Ribeiro Júnior. “A conclusão do inquérito não quer dizer que as buscas pelos corpos serão interrompidas. Podem continuar de forma autônoma”, afirmou o policial.

SUSPEITOS

Ele confirmou também que está pedindo a prorrogação da prisão dos suspeitos de participação no crime. O caso é tratado como duplo homicídio. Até o momento cinco pessoas estão recolhidas na cadeia por força de mandados de prisão expedidos dentro do inquérito. Outros dois estão detidos por outros crimes e a polícia apura o envolvimento de ambos no desaparecimento de Kawane e Rubens, ocorrido no último dia 03 de agosto, em Goioerê.

Quatro homens e uma mulher de 23 anos, que era vizinha do casal, são apontados pela polícia como os responsáveis pelo crime. Até o momento ainda não foi divulgada qual a participação de cada um no desaparecimento ou como o casal teria sido atraído até os suspeitos.

A PROCURA

Desde o início das investigações, Ribeiro sempre afirmou que a prioridade é encontrar os corpos. Buscas já foram realizadas em toda a região desde a manhã do dia 04 de agosto, quando o carro da família foi encontrado carbonizado na área rural de Moreira Sales. Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, cães farejadores, grupos especiais como Grupamento de Operações Aéreas (GOA) e Tigre também ajudaram, mas sem sucesso.

Cronologia do Caso

03.08.2020 – O filho do casal, um menino então com 3 meses de vida é encontrado durante a noite por populares abandonado em uma calçada na rua Contorno Norte, entre os bairros Jardim Curitiba e Vila Candeias, na saída para Moreira Sales; A Polícia Militar é acionada;

04.08.2020 – O veículo da família, um Honda Civic preto é encontrado totalmente carbonizado no início da manhã, na estrada Jamaica, em Moreira Sales.

No carro os peritos encontraram apenas um aparelho celular que seria de Kawane; Buscas começam a ser feitas pela família e polícia. Nos dias seguintes, a área de procura e a ajuda aumentam, mas sem sucesso;

Ainda nas primeiras investigações, o delegado titular de Goioerê na época, Hélio Nunes, já afirmava que não se tratava de roubo ou sequestro e que a hipótese mais provável seria vingança; O caso ainda era tratado como desaparecimento;

11.08.2020 – Equipes do GOA e do Tigre realizam buscas durante a semana por toda a região com o auxílio de um helicóptero;

20.08.2020 – As investigações passam a ser comandadas pelo delegado de Alto Piquiri Adaílton Ribeiro Júnior. Hélio Nunes entra em licença médica;

03.09.2020 – Presa a primeira suspeita de participação no desaparecimento do casal. A mulher de 23 anos era vizinha de Kawane e Rubens e já estava presa preventivamente desde o dia 12 de agosto, acusada de envolvimento com o tráfico de drogas;

16.09.2020 – Mais três suspeitos são presos temporariamente, sendo dois dentro do inquérito que apura o desaparecimento, encontrados em Umuarama, e o terceiro por mandados expedidos por outros crimes, em Tapejara. Com esse terceiro a Polícia Civil encontra joias e objetos furtados da casa das vítimas um dia após o desaparecimento.

21.09.2020 – O quinto suspeito de envolvimento no crime é preso em Campo Mourão, por força de mandado de prisão por outro crime.