Cotidiano

EM GOIOERÊ

Mesmo com prisão de 4 suspeitos, corpos de casal de Goioerê ainda não foram encontrados

16/09/2020 16H08

Mesmo com a prisão de quatro suspeitos de envolvimento no desaparecimento do casal Kawane Cleve, 23 anos e Rubens Biguetti Júnior, 29 anos, os corpos ainda não foram encontrados pela polícia.

CORPOS

Segundo o delegado encarregado do caso, Adaílton Ribeiro Júnior, por enquanto a polícia ainda não sabe onde os corpos foram deixados, mas o inquérito já têm elementos suficientes para comprovar o envolvimento de todos os detidos com o crime. Todos os suspeitos negam participação.

DUPLO HOMICÍDIO

A participação de cada um e a motivação do duplo homicídio ainda não foi esclarecida pela polícia. “Ainda não podemos divulgar todos os detalhes e a motivação ainda não está fechada”, afirmou o delegado em entrevista coletiva concedida na sede da 7ª SDP no fim da manhã de quarta-feira. De acordo com Ribeiro, todos os detidos conheciam as vítimas.

PRESOS

Na manhã desta quarta-feira (16) investigadores da 7ª SDP prenderam provisoriamente dois homens, de 57 e 24 anos, acusados de envolvimento na morte do casal. Ambos estavam escondidos no Parque Industrial, em Umuarama. Contra o mais velho havia ainda outros quatro mandados de prisão em aberto. Contra o suspeito de 24 anos, mais dois mandados. Eles foram recolhidos à cadeia de Umuarama.

TAPEJARA

Um terceiro suspeito, de 32 anos, foi preso em Tapejara e sua companheira também acabou conduzida até a delegacia.

Segundo o delegado as investigações apontam a participação deste homem na morte do casal, mas a prisão ocorreu por força de outro mandado pelo crime de furto. “Os mandados já haviam sido expedidos pela Justiça quando apareceram elementos que comprovam o envolvimento dele no desaparecimento do casal”, esclareceu.

MORTE A PAULADAS

Esse homem ainda é suspeito de ter agredido a pauladas o empresário Maykio Escanes, de 45 anos, no último dia 16 de agosto, em frente a sua residência, na Vila Guaíra, em Goioerê. Escanes morreu 11 dias depois em decorrência da agressão. O crime foi flagrado por câmeras de segurança.

JOIAS

De posse desse suspeito e de sua companheira foram encontradas diversas peças de joias e semijoias que a família já reconheceu como sendo de Kawane Cleve.

Um dia após o desaparecimento do casal, a residência da família foi arrombada e os criminosos levaram diversos objetos, principalmente joias, segundo relatado pela família à época.

O delegado Hélio Nunes, que conduziu as investigações inicialmente, chegou a descartar qualquer relação entre o arrombamento e o desaparecimento de Kawane e Rubens.

SUSPEITA

Além dos três detidos hoje, uma mulher de 23 anos, vizinha do casal, já está presa provisoriamente desde o início do mês na cadeia de Goioerê e é apontada pela polícia como uma das autoras do crime. Em depoimento a mulher permaneceu calada e usou seu direito constitucional de se manifestar somente em juízo. Ela já responde a outro inquérito por tráfico de drogas.

RELEMBRE O CASO

O casal desapareceu na noite de 03 de agosto último após o filho de três meses ser encontrado abandonado em uma calçada no Jardim Curitiba, em Goioerê. O carro da família, um Honda Civic foi encontrado carbonizado na manhã seguinte na área rural de Moreira Sales, distante 25 km de Goioerê.

Kawane Cleve é filha do juiz João Cleve Machado, morto em 2007. O magistrado atuou por anos em Umuarama e em Altônia.