Umuarama

Meio Ambiente

Mato alto gera insegurança, proliferação de animais peçonhentos e mosquito da dengue

08/03/2021 09H27

Com o calor e a chuva do mês de janeiro e fevereiro o mato dos terrenos vazios em bairros de Umuarama cresceu e começou a gerar problemas para quem mora próximo. Além de gerar a insegurança, a falta de roçada nos lotes também aumenta a incidência de animais peçonhentos nas casas vizinhas e a proliferação do mosquito da dengue.

Conforme artigo 16 do Código de Postura de Umuarama, os proprietários, inquilinos ou outros ocupantes de imóveis são obrigados a conservar em perfeito estado de asseio os seus quintais, pátios, terrenos e edificações. O texto ainda enfatiza, que não é permitida a existência de terrenos cobertos de mato, pantanosos, com água estagnada ou servindo como depósito de lixo dentro dos limites do Município.

Mesmo com a legislação não é isso que se vê na cidade, principalmente nos bairros novos onde existe uma boa quantidade de imóveis sem edificação. O mato alto preocupa os moradores, pois a cidade a cada dia registra novos casos de dengue e do escorpião amarelo.

QUEIMADAS E LIXO

Outros problemas registrados pelos moradores dos bairros é a queimada do mato e o lixo jogado nos terrenos vazios. Alguns umuaramenses alegam que os proprietários de terreno estão colocando veneno no mato para secar e em seguida colocam fogo. A prática é proibida em Umuarama, mas as queimadas são constantes.

Segundo o morador da rua Bruno Cavalcante, no Parque Interlagos, Paulo dos Santos, com as chuvas e o sol quente dos últimos dias o volume de mosquitos transmissores da dengue, chikungunya e zika aumentou consideravelmente. Na rua do umuaramense o número de terrenos vazios é grande e quase todos com mato alto.

No parque da Gávea, um terreno na esquina da rua Dracena, com a avenida Valdomiro Ferreira, o mato já ultrapassou a altura da iluminação pública instalada no poste de energia.

Segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura de Umuarama, os pedidos de roçada se multiplicam. Conforme nota, os fiscais notificam o dono do terreno, o qual tem 30 dias para realizar o trabalho. Uma dificuldade do município é achar os donos de terrenos que residem em outras localidades.

Multa e limpeza

Constatada a infração em terrenos vazios, o Código de Postura do Município diz que será aplicada a multa de R$ 604,28. Se recolhida no prazo de 30 dias, após a notificação, o valor será reduzido em 50%.

Não atendida a notificação, a Prefeitura executará os serviços de roçagem ou limpeza do terreno, cobrando, além da multa o valor de R$ 1,28 por metro quadrado do terreno; recolhimento de entulho sai por R$ 250,00 cada viagem de caminhão ou trator; operação com pá carregadeira custa R$ 275,00 por hora/máquina. Na prática, custa menos ao bolso fazer a manutenção correta.

Denúncia

A denúncia precisa ser feita pelo telefone 156 na ouvidoria da Prefeitura de Umuarama, pois desta forma é lavrado um documento para ser emitido aos fiscais do município.