Região

"ARRASTÃO"

Mariluz realiza grande mutirão de limpeza contra a dengue e o zika vírus

02/09/2019 10H55

Prefeito Nilson, diretor do Ilustrado e da Ilustrada FM, Ilídio Coelho Sobrinho, representantes da Regional de Saúde e outras lideranças no início dos trabalhos

Mariluz – Com mais de 230 casos registrados de dengue e um caso de zika vírus, a cidade de Mariluz é uma das cidades do Paraná com sinal de alerta para essas duas doenças. Para reduzir os riscos de aumento de casos, a cidade foi envolvida sexta-feira (31) num grande mutirão de limpeza.

A Prefeitura fechou as portas, mantendo apenas os serviços essenciais. Servidores municipais, vereadores e até o prefeito Nilson Cardoso foi para as ruas. Todos com o objetivo de vasculhar um número maior possível de quintais e pátios de empresas a fim de recolher entulho que acumula água parada e pode servir de criadouros para o mosquito transmissor.

O início do arrastão foi no Clube da Terceira Idade, onde dezenas de voluntários se reuniram para a organização em grupos. Cada grupo recebeu uma fita de cor diferente e seguiram em seguida para os quatro cantos da cidade.

Na abertura dos trabalhos, o secretário municipal de Saúde, Joel Magalhães, reafirmou a disposição da Prefeitura Municipal em manter a cidade limpa e sem dengue. Mas a doença apareceu devido aos períodos de calor e chuva no primeiro semestre do ano. “Agora precisamos arregaçar as mangas e ir às ruas para recolher o entulho e conscientizar a população”, disse.

O prefeito Nilson Cardoso também destacou a importância do mutirão de limpeza. Ele lembrou que outras ações de menor intensidade já foram realizadas na cidade, mas como a meta é reduzir os casos de dengue e evitar novos casos de zika, foi organizado o mutirão de limpeza desta sexta-feira. “Sabemos que as doenças são muito agressivas e prejudicam as pessoas, o que não queremos para ninguém”, disse.

Nilson agradeceu o empenho dos servidores, vereadores, e outros profissionais que participaram do mutirão, além do apoio que a Prefeitura recebeu da Câmara Municipal, da Coamo, Usina Santa Terezinha e JR Materiais de Construção, entre outros parceiros.

No Paraná

O secretário estadual da Saúdem Beto Preto, apresentou ontemo balanço de um ano da dengue no Paraná, recorte entre agosto de 2018 e julho deste ano. Segundo a pasta foram 23 mil casos confirmados no Estado entre 70 mil notificações, com 23 óbitos.

Um grupo de 47 municípios chama a atenção, localidades em que as ações de prevenção serão redobradas. Destaque para as cidades de Foz do Iguaçu, Paranaguá e Londrina.

Paralelo ao monitoramento, a secretaria apoia os municípios nas ações preventivas da dengue, orientando sobre eliminação dos criadouros e focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença. “Vamos atacar de maneira diferenciada essas regiões. Quando a chamada dengue de inverno é alta, o verão vem forte. Precisamos ficar atentos, evitando que o mosquite se crie”, ressaltou.