Umuarama

CORONAVÍRUS

Macrorregião não tem mais vagas de UTI/covid e saúde começa escolher qual paciente será atendido

18/12/2020 18H39

Todos os 140 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) destinadas ao atendimento de pacientes positivados ou com suspeitas de covid-19 estavam ocupados nesta sexta-feira (18). As vagas compõem a macrorregião Noroeste e estão distribuídas nas cidades de Campo Mourão, Cianorte, Colorado, Maringá, Paranavaí e Umuarama. Com a situação crítica, a regulamentação de leitos começa a escolher qual paciente receberá o tratamento intensivo primeiro.

Em Umuarama, o fluxo de lotação de UTI é intenso desde a última semana e conforme o boletim municipal, desta sexta-feira, todos os 22 leitos de UTI dos hospitais de Umuarama estão ocupados e a taxa de ocupação de enfermarias está em 81,5%. Destes havia pacientes em 31 dos 38 leitos disponibilizados pelo SUS para a cidade e região.

Em live realizada no Facebook da Prefeitura de Umuarama, o prefeito Celso Pozzobom e a secretária de Saúde Cecilia Cividine ressaltaram que a falta de leitos está levando os profissionais da saúde e escolherem quem receberá o tratamento intensivo primeiro. Ainda segundo o prefeito, oito umuaramenses esperavam uma vaga de UTI, sendo que a espera leva ao agravamento dos sintomas. “Foi realizado reunião com o Governo do Estado para ver se é possível aumentar o número de leitos, mas nem nas UTIs gerais temos mais espaços”, alertou o prefeito.

Ainda segundo Pozzobom, a preocupação é com a aglomeração de pessoas nas festas do fim de ano, pois se houver a duplicação de casos em relação ao que está sendo registrado no mês de dezembro, janeiro a situação será pior. “Esses óbitos que estão ocorrendo é justamente pois as pessoas estão passando da hora de entrar nas UTIs. A preocupação é grande”, alertou o prefeito.

A secretária recomendou que a população não realiza as aglomerações familiares neste momento, mas se for ocorrer, que mantenha o distanciamento e as medidas de prevenção contra a transmissão do coronavírus.

Boletim

No fechamento desta sexta-feira, a semana já registra a maior média semanal de mortes provocadas pela covid-19 em comparação com outros períodos da pandemia em Umuarama. A Secretaria Municipal de Saúde confirmou mais um óbito (o 8º da semana e o 47º desde o início da pandemia). A vítima é uma mulher de 69 anos que estava internada em unidade de terapia intensiva do Hospital Nossa Senhora Aparecida.

Além disso, foram confirmados 41 novos casos da doença (19 mulheres, 20 homens e duas crianças), elevando para 4.763 o número de umuaramenses positivados. Desse total, 2.653 pessoas já se recuperaram da doença, outras 2.030 permanecem em isolamento domiciliar e 33 estão internadas em leitos de enfermaria e UTI. Aumentou para 57 o número de pacientes locais internados nas cidades da macrorregião Noroeste (incluindo Umuarama), sendo 28 em UTIs e 29 nas enfermarias.

SUSPEITOS

A cidade tem ainda 1.934 pessoas com suspeita de infecção pelo coronavírus, das quais duas estão hospitalizadas e as demais em isolamento domiciliar.