Cotidiano

QUEBRA-CABEÇA

Justiça autoriza polícia a analisar celulares de vítimas de triplo homicídio

19/08/2021 19H49

Os dois aparelhos celulares foram encontrados em um bueiro no cruzamento da rua Floraí com a avenida Governador Parigot de Souza, segundo a Polícia Civil

A juíza Silvane Cardoso Pinto, da 2ª Vara Criminal de Umuarama, autorizou a Polícia Civil a realizar a análise do conteúdo de dois aparelhos celulares pertencentes ao empresário Antonio Soares (65) e de sua esposa, a dona de casa Helena Marra (59). Eles e a filha Jaqueline Soares (39) foram mortos a facadas na residência da família, na área central da cidade, no último dia 08 de agosto.

No bueiro

Os aparelhos foram encontrados em um bueiro no cruzamento da rua Floraí com avenida Governador Parigot de Souza a algumas quadras do local do crime. Imagens de câmeras de segurança recuperadas pela Polícia Civil, flagraram um homem descer de um carro prata e jogar os telefones na galeria na noite das mortes. O veículo do suspeito é um GM Astra prata.

Suspeito

Para a polícia, esse homem seria o marido de Jaqueline, o comerciante Jean Michel Souza (39), apontado como o autor do triplo homicídio. Ele está preso desde o dia 09, quando as mortes foram descobertas. No fim da semana ele foi encaminhado para a cadeia de Campo Mourão para atender pedido da defesa dele ser mantido em uma cela especial por ter curso superior. A defesa do comerciante nega a autoria e qualquer envolvimento dele com as mortes de pai, mãe e filha.

Novas provas

A expectativa da Polícia Civil é que o conteúdo ajude a aumentar a quantidade de provas reunidas até o momento contra o comerciante. “Essa análise já está sendo feita e será demorada, pois são muitos dados e precisam de uma análise minuciosa”, explicou o delegado-chefe da 7ª SDP., Osnildo Carneiro Lemes. Ele informou que somente de um dos aparelhos os peritos já extraíram mais de 70 mil dados.

O crime

Pai, mãe e filha foram mortos no domingo do Dia dos Pais (8), na residência da família, em um sobrado na avenida São Paulo, área nobre de Umuarama. Segundo a polícia, o casal foi surpreendido na cozinha da residência e mortos com uma facada cada. Já Jaqueline morreu no banheiro de seu quarto, no andar de cima do imóvel. Ainda segundo a polícia, a advogada apresentava muitos ferimentos, inclusive de defesa. As mortes foram descobertas somente na manhã seguinte, quando a empregada da família chegou para trabalhar e acionou a Polícia Militar.