Policial

SOB INVESTIGAÇÃO

Jovem nega estupro e cárcere privado de namorada e amiga

08/03/2019 12H20

O jovem de 29 anos acusado de estuprar e manter em cárcere privado a namorada e uma amiga, nega as acusações. Em entrevista na manhã desta sexta-feira (8), o suspeito afirma que as acusações são falsas e motivadas por uma dívida de R$ 1.350 referente ao concerto de seu carro.

“Essa pilantra quebrou o meu carro e eu disse que queria receber. Eu não prendi ninguém. Fiquei 20 dias fechado na cadeia e a ‘mina’ veio se esfregando em mim. Não estuprei ninguém. Fiz sexo mas foi consentido. Tenho testemunhas”, afirmou o suspeito.

Ele foi preso ainda em estado de flagrante na noite de quinta-feira (7) em sua residência, na rua Josias Antunes de Souza, no Parque D. Bosco, em uma ação conjunta das Polícias Civil e Militar. O suspeito está sendo acusado de cárcere privado, lesões corporais e estupro. A pena pode chegar a 10 anos de prisão.

O CRIME

Segundo o delegado-chefe da 7ª SDP, Osnildo Carneiro Lemes, as duas jovens de 18 anos contaram que foram mantidas em cárcere privado dentro da casa do suspeito entre as 18 horas de quarta-feira (6) até às 11 horas do dia seguinte (7).

“Elas disseram que foram liberadas às 11 horas e que ficaram receosas de vir até a delegacia. A denúncia foi realizada durante a noite e nós efetuamos a prisão com o auxílio da equipe da Polícia Militar”.

Segundo o delegado, a namorada do suspeito contou que o casal estava morando na mesma casa há 10 dias e após um desentendimento a jovem teria ido até a residência buscar seus pertences.

“Ela contou que o suspeito fechou a porta e a impediu de sair e que foi espancada. Isso por volta das 18 horas. E por volta da meia-noite a segunda jovem teria ido até a residência socorrer a primeira vítima. Ai o suspeito teria mantido essa amiga da namorada também em cárcere privado e a estuprado na frente da namorada”, relatou o delegado.

Ainda segundo Lemes as jovens teriam sido encaminhadas ao hospital de plantão. “A namorada apresenta hematomas e a outra jovem afirmou estar com muitas dores na genitália. Ela teve acesso ao coquetel de medicamentos para prevenção de doenças sexualmente transmissíveis e também a gravidez”, ressaltou o delegado.

OUTRA VERSÃO

A mãe do suspeito, uma mulher de 53 anos, afirmou que o filho é inocente das acusações. “Eu fui na manhã de ontem (7) levar café da manhã para ele. A casa estava toda aberta, portas, janelas. E pela janela eu vi a namorada dele dormindo. Nem vi a outra menina. Se fosse verdade que estavam presas não estaria dormindo na cama, e sim gritando e pedindo socorro para ser libertada”, afirmou a mulher.

Ela contou que o filho tem problemas e é usuário de drogas. “Eu conheço meu filho. Sei que ele tem problemas e usa cocaína, mas esse crime ele não deve. Ontem no fim da manhã ele pediu para eu levar a namorada e a amiga até a Sanepar para colocar a conta de água da casa no nome delas. Eu disse que não levaria, mas encontraria com elas lá. Não apareceram. Estão fazendo isso para não pagar a dívida do conserto do carro e meu filho corre o risco de morrer com essa acusação e preso”, afirmou.