Umuarama

Saúde

Intensificação de queimadas e tempo seco agravam problemas respiratórios

11/08/2020 09H09

queimadas

O Paraná vive uma das piores secas dos últimos anos e o umuaramense está sofrendo com o ar seco e agora a fumaça das constantes queimadas ao redor da cidade. Só no domingo (9) foram cinco incêndios em vegetação registrados pelo Corpo de Bombeiros de Umuarama. Conforme o médico pneumologista Renato Ricci Kauffmann, a baixa umidade do ar ocasiona o ressecamento da mucosa das vias aéreas, predispondo ao risco de contrair infecções.

Segundo o Sistema de Meteorologia do Paraná (Simepar), na segunda-feria (10) a umidade relativa do ar em Umuarama chegou a níveis críticos de 30%, sendo que de acordo com a OMS, o nível ideal para o ser humano é entre 60% e 80%. Quando o índice aponta níveis abaixo de 20% à situação é considerada emergencial.

Associado ao ar seco as queimadas restiradas na cidade estão agravando a situação da saúde dos umuaramenses. Desde o início de janeiro até esta segunda-feira (3) até o fechamento julho 212 queimadas foram registradas e combatidas pelo Corpo de Bombeiros na região de Umuarama, Altônia e Cruzeiro do Oeste. Os números estão aumentando, só no domingo foram cinco registros de incêndios.

INCÊNDIO CRIMINOSO

Conforme o tenente Marçal do 6º Sub Grupamento do Corpo de Bombeiros, na quase totalidade dos incêndios atendidos a origem tem ação humana. “Diferente de outras regiões do país, onde raios provocam incêndios, principalmente na área rural, na nossa, sempre tem a ação humana, seja para limpar um terreno ou outra situação e perde-se o controle”, afirmou.

Em caso de incêndios ambientais, a multa vai de no mínimo R$ 5 mil a até 50 milhões, dependendo da quantidade de hectares consumidos pelo fogo.

PROBLEMAS

O médico Renato Ricci explicou que a baixa umidade do ar ocasiona o ressecamento da mucosa das vias aéreas predispondo ao risco de contrair infecções. “O ressecamento da mucosa diminui sua capacidade de filtrar os vírus e bactérias que estão no ar. Tal situação predispõe o ser humano a infecções”, explicou.

No caso da fumaça produzida pelas queimadas, as pessoas que já possuem problemas respiratórios como asma e doença pulmonar obstrutiva crônica são sujeitos a ter agravamento dos sintomas, alertou o médico. “Começa com coceira no nariz, espirros, ressecamento dos olhos e tosse. Desta forma, causa uma agressão muito grande nas vias aéreas”, disse o entrevistado.

O QUE FAZER?

Neste cenário árido, o pneumologista Ricardo orienta para a hidratação do corpo e a limpeza da casa, pois com o tempo seco, o acúmulo de poeira nos móveis, tapetes, cortinas entre outros itens das residências aumenta. “Os ambientes ficam mais empoeirados. Tenha cuidado especial com as cortinas, tapetes e bichos de pelúcia. Mantenha a casa arejada”, ressaltou.

Espalhar baldes ou panos molhados na casa também ameniza o desconforto do ressecamento. “O ideal é beber dois litros de água por dia e em caso de prática de esporte aumentar essa ingestão. Já se as narinas ficarem ressecadas é possível hidratar com soro fisiológico” orientou.

CHUVA

Ainda segundo o site do Simepar exista a possibilidade de chuvas para Umuarama na sexta-feira (14) e sábado (15). O tempo instável deve permanecer na próxima semana e derrubar novamente as temperaturas em Umuarama chegando a mínima de 7ºC.