Umuarama

INFORME UEM AGRÍCOLA

Importância da cobertura dos solos do arenito

23/08/2020 07H35

Professor: Lucas Ambrosano
Universidade Estadual de Maringá – Campus Umuarama

A agricultura brasileira tem quebrado recordes de produção agrícola, sendo destaque no cenário mundial. As altas produções têm sido conquistadas com sistemas produtivos de alta tecnologia, porém é necessário ter atenção na sustentabilidade destes cultivos, uma vez que podem gerar um esgotamento dos recursos naturais. Nas propriedades rurais têm crescido os problemas de degradação das áreas, propiciando queda nas produtividades e inúmeros prejuízos ao sistema produtivo e ao meio ambiente.

O principal problema da degradação de áreas agrícolas está relacionado a erosão do solo, que é o arraste do solo pelo movimento da água na superfície. A erosão no solo arrasta não só o solo da superfície, também remove fertilizantes e sementes presentes nas camadas superiores, isto acarreta perda financeira para os produtores.

Ilustração comum em áreas agrícolas após uma chuva, observa-se o arraste do solo causado pela força da enxurrada, formação dos processos erosivos

 O processo erosivo no solo tem seu primeiro passo no impacto das gotas da chuva na superfície do solo desprotegido, esse efeito causa uma desagregação das partículas deixando este solo propenso as perdas por arraste no momento que existe o movimento da água na forma de enxurradas.

A região do arenito tem a presença de um tipo de solo bastante particular, sendo caracterizado pelo predomínio de partículas de areia, o que requer cuidado na sua exploração, pois é um solo bastante susceptível aos processos erosivos. As partículas de areia presentes no solo não têm a característica de se agregarem, deixando os solos mais soltos, e esse fato cria um ambiente de maior propensão a perdas por erosão, causando grandes prejuízos.

Foto microscópica de um solo arenoso típico da região do arenito formado por partículas de areia

A estratégia mais eficiente contra esse problema é a manutenção do solo sempre coberto, que pode ocorrer com as plantas sendo cultivadas para este fim, bem como com resíduos vegetais deixados pelos cultivos anteriores. A cobertura do solo funciona como uma defesa física contra o impacto direto das gotas da chuva, bem como dificultando a formação de enxurradas na superfície das áreas. Somado aos benefícios gerados na defesa do solo, contra as perdas por erosão, a cobertura do solo trás algumas vantagens para o ambiente, atua na conservação da umidade no solo, reduz a infestação com plantas daninhas, fornece nutrientes para os próximos cultivos e favorece a infiltração de água no solo.

Cobertura do solo com Nabo Forrageiro

As estratégias de cultivo devem ser pensadas para manter a sustentabilidade na exploração das áreas em longo prazo. Práticas de cultivo, que priorizam solos cobertos, precisam estar presente cada vez mais nas propriedades rurais, para minimizar os problemas de perdas de solo por erosão, processo este que é muito comum nas áreas agrícolas da região.