Esportes

Primeiro jogo

Flamengo e Corinthians jogam nesta quarta-feira e apostam em camisas 10 na Copa do Brasil

11/09/2018 22H15

Atuar como o cérebro do time, encontrar espaços em meio às retrancas e, sobretudo, criar jogadas de ataque serão as tarefas do corintiano Jadson e do flamenguista Diego nesta quarta (13), às 21h45. Nesse horário, Corinthians e Flamengo se enfrentam no Maracanã, pela partida de ida das semifinais da Copa do Brasil. Os dois camisas 10 têm em quem se inspirar: Zico e Neto, ídolos dos dois clubes nas décadas de 1980 e 1990.

Vinte e nove anos depois do primeiro embate entre as duas equipes no torneio mata-mata, o time paulista tem a chance de dar o troco no rival carioca, que o eliminou nas quartas de final em 1989.
Assim como nesta quarta, naquela ocasião o Flamengo fez a partida de ida em casa. Com gols de Nando e Zico, o time rubro-negro saiu na frente no confronto.

No duelo de volta, com grande atuação de Neto, o Corinthians venceu por 4 a 2. O placar não foi suficiente para levar o time à fase seguinte por causa do critério do gol qualificado, que não existe na edição deste ano.

O ex-camisa 10 corintiano se exime da culpa pela desclassificação. “Eu fiz o primeiro gol, olímpico, e ainda fiz o quarto. Eu dei a classificação para o Corinthians. Quem tinha de fazer diferente era a defesa, que não podia ter tomado gols. Fiz mais do que tinha de fazer”, afirmou em entrevista.

Para Neto, o clube alvinegro precisa ter a mentalidade de uma equipe pequena para passar pelo rival desta vez. “Pode perder de um 1 a 0 lá, ganhar de 1 a 0 aqui e ir para os pênaltis”. Apesar de o Flamengo estar em momento melhor, Zico também prevê equilíbrio, sobretudo pelas características de Jadson e Diego. “Eles têm estilos parecidos. São armadores, decidem nas bolas paradas e já passaram dos 30 anos. São lideranças técnicas para os times. As torcidas esperam muito de Jadson e Diego”. A missão de Jadson, porém, é mais difícil, já que, em um elenco sem grandes nomes, a responsabilidade dele é maior. A tarefa é semelhante à de Neto em 1989. Já Diego, a exemplo de Zico, faz parte de uma equipe mais qualificada tecnicamente. Isso, no entanto, não faz o ex-jogador do Flamengo atribuir favoritismo ao time carioca. “É um clássico e não tem favorito. Em jogos assim, o time geralmente se garante fazendo o resultado em casa”, afirmou Zico.

É justamente por isso que Neto se mostra mais confiante para o duelo da volta, marcado para o dia 26, no Itaquerão.

NOVIDADE

Nesta quarta, a grande novidade na escalação corintiana será o lateral Fagner, que estava lesionado, mas se recuperou antes do previsto. O jogador havia sido cortado dos amistosos da seleção brasileira nos Estados Unidos porque não teria tempo para se recuperar. O Flamengo ainda deverá avaliar os convocados Cuéllar, na seleção colombiana, e Lucas Paquetá, na equipe de Tite, para saber se poderá usá-los na semifinal. (Folhapress)