Umuarama

CORONAVÍRUS

Fechamento de Umuarama é um pedido de socorro para conter o coronavírus

25/03/2021 08H33

DECRETO-ABERTURA-COMERCIO

O novo decreto 86/2021 emitido pela Administração Municipal e que traz medidas mais rígidas para o enfrentamento ao coronavírus em Umuarama, também é um pedido para os umuaramenses permanecerem sem aglomerações nos quatro dias de fechamento. O apoio da população é fundamental para na próxima semana, os setores produtivos voltarem as atividades visando equilibrar a economia municipal.

Conforme o prefeito Celso Pozzobom, o fechamento vai resultar em algo positivo se tiver apoio da população, uma vez que com o decreto estadual já houve uma leve redução na taxa de transmissão do vírus. “O índice de contaminação do Estado depois dos decretos caiu de 1.07% para 0.7%. Em Umuarama, a redução foi um pouco menor de 1.75% para 1.10%. Então o fechamento será traduzido em algum resultado e se todos ajudarem será um resultado ainda mais positivo”, explicou Celso Pozzobom, na reunião com os prefeitos da Amerios.

Ainda na reunião, Pozzobom ressaltou que a pequena paralisação, que também foi orientada para todos os municípios da região, seria a última ação para tentar aliviar a superlotação de leitos covid. Com isso, também reduzir o número de mortes que vem aumentado desde a última semana. Hoje só Umuarama tem 116 óbitos confirmados por covid-19. “Não é só a falta de leitos, tem a falta de remédios e de médicos. Esta semana recebemos documentos da Associação Médica, Hospitais e Ministério Público alertando para um futuro ainda mais trágico, se nada for feito agora”, disse.

Recomendação

À população em geral, o decreto recomenda não realizar viagens (apenas se estritamente necessárias), aumentar os cuidados com a higiene pessoal, limpeza de superfícies, telefones, botões de elevador, computadores, mesas, cozinhas e banheiros; evitar a circulação em locais públicos, o uso do transporte público e aglomerações; uso de máscara e da etiqueta respiratória (proteger o nariz e a boca ao tossir ou espirrar).

Proibições

A maioria dos serviços e atividades econômicas ficam proibidas, assim como a prestação dos serviços públicos não essenciais. Fica proibida a comercialização de bebidas alcoólicas, enquanto mercados e restaurantes poderão funcionar em sistema de delivery, entre outras medidas.

Durante quatro dias, o decreto suspende atividades presenciais religiosas e as aulas presenciais nas escolas públicas e privadas de qualquer grau – pode funcionar somente a transmissão de aulas a distância. Estão proibidas atividades de lazer e esporte nas ruas e logradouros públicos, bosques, praças, quadras, piscinas, ginásios e outros locais coletivos, reuniões, festas e churrascos que gerem aglomeração, feiras, venda e consumo de bebidas alcoólicas em locais públicos ou de uso coletivo.

Fiscalização

A administração intensificará a fiscalização referente ao combate à covid-19 em cooperação com as autoridades estaduais e federais, valendo-se da força policial se necessário. O decreto terá validade da 0h do dia 25 de março até 23h59 do dia 28. Depois, voltam a vigorar as normas do decreto 70/2021, com as seguintes alterações: permanece proibida a comercialização de bebida alcoólica e fica autorizado ao comércio e prestação de serviço funcionar das 8h às 18h, inclusive nos finais de semana.