Umuarama

E AGORA???

Falta de vagas para estacionar espanta consumidores. Saiba porque isso acontece em Umuarama

08/06/2019 11H51

E AGORA??? Falta de vagas para estacionar espanta consumidores. Saiba porque isso acontece em Umuarama
Avenida Paraná às 8h45 de quarta-feira (5): vagas em sua maior parte ocupadas

Umuarama – Conseguir estacionar em uma vaga na área central de Umuarama em horário comercial é uma aventura. O mais provável é que encontre o que deseja duas ou três quadras, em ruas laterais e tenha que gastar tempo andando para chegar até o seu destino.

Se for em um dia que esteja tranquilo, sem problemas. Se for naqueles 15 minutos do horário de almoço ou para aproveitar a ‘saidinha’ na rua durante o expediente de trabalho, ai, meu amigo, seu calvário começou.

Mas o que chama a atenção é que desde que o estacionamento rotativo pago foi suspenso na cidade há cerca de três meses, não é somente nos horários de picos do comércio que se tem dificuldade para estacionar no centro de Umuarama. Toda hora é um pesadelo!!!!

E para saber o que acontece o Jornal Umuarama Ilustrado foi conferir: 8h30 de quarta-feira (5). Avenida Paraná, começando da Praça Miguel Rossafa até a Praça Santos Dumont, com trinta minutos antes do comércio ‘abrir’ oficialmente. Pasmem!!! Pouquíssimas vagas disponíveis.

Segundo dados da Umutrans, somente para o estacionamento rotativo pago, são 4 mil vagas para carros e 1.500 para motos.

SEM VAGAS

No trecho da avenida Paraná entre a Praça Santos Dumont e a rua Governador Ney Braga, das 95 vagas disponibilizadas (sem contar as especiais e as de curta duração), 63% ou seja, 61 já estavam ocupadas às 8h45.

Na avenida Castelo Branco, também no trecho entre a Santos Dumont e a rua Governador Ney Braga, nas proximidades da Caixa Econômica Federal e da Receita Federal, às 9 horas o índice de ocupação era mais elevado. Das 64 vagas disponíveis para carro, 56, ou 87,5% estavam ocupadas. No canteiro central, não havia uma vaga sequer para ser usada. Isso porque o banco abre às 10 horas.

E AGORA??? Falta de vagas para estacionar espanta consumidores. Saiba porque isso acontece em Umuarama
Avenidas Manaus e Flórida, onde tradicionalmente condutores estacionavam para fugir da Zona Azul. Agora estão vazias

ABUSO

No local ainda flagramos um único veículo utilizando o espaço para dois carros e uma caminhonete que invadiu o estacionamento de motos. Isso porque o estacionamento já estava lotado. Das oito vagas, seis estavam como motos e uma indisponibilizada por causa da bendita caminhonete.

Já na avenida Brasil, também no trecho da Santos Dumont com Ney Braga, local onde estão algumas das principais agências bancárias haviam poucas vagas disponíveis às 9h24. Na quadra seguinte, entre a Ney Braga e a avenida Flórida, nenhuma disponível, fosse no canteiro central ou junto ao meio-fio nos dois sentidos da via.

LOJAS VAZIAS

Pode pensar: nossa o comércio está bombando!!!! Início de mês e todo mundo comprando. Mas ao olhar dentro dos comércios em todas as vias, a surpresa: raríssimos consumidores, vendedores batendo papo encostados em gôndolas, limpando o chão, mas vendas mesmo, quase zero!!!

Mas e as motos e os carros que ocupam quase todas as vagas? De quem são?

A advogada Stephanie Turbay, de 28 anos, respondeu quando abordada pela equipe: “São dos comerciantes e dos seus funcionários”. E ressaltou que quando o estacionamento rotativo estava em operação, conseguir uma vaga era sempre mais fácil. “Mesmo nos horários de pico, sempre encontrava alguma vaga próximo ao escritório. Agora não”, explicou.

Ela salientou que não mudou o local onde deixa o carro. “Como sempre chego mais tarde, depois da abertura do comércio, continuo estacionando no local de sempre, pois aqui perto não tem vaga”, disse.

VAGAS ABANDONADAS

A equipe do Jornal Umuarama Ilustrado foi até a avenida Manaus e Flórida, nas proximidades do Country Club, local onde tracionamento as vagas disponíveis são usadas por quem trabalha no comércio central porque ali não incidia o estacionamento rotativo. Avenidas vazias, com poucos veículos parados.

COMODIDADE

“No sábado passado (1º) um comerciante me ligou pela manhã reclamando da falta de lugar para parar próximo ao seu comércio. Eu perguntei: Mas você estacionou o seu carro onde? E os seus funcionários, onde estacionaram as motos, os carros? Ele me disse que parou em frente, mas que de vez em quando sai para fazer algo na rua e a vaga fica desocupada”, disse a diretora da Umutrans, Dianês Piffer.

Ela salientou que o espaço público com o estacionamento rotativo pago e sem ele é o mesmo. “Se as pessoas não tiverem a consciência de que precisam deixar o espaço livre para o seu cliente e deixar de pensar apenas na sua comodidade, o problema vai continuar”, salientou a diretora da Umutrans, Dianês Piffer.

Ela reforçou a necessidade de quem trabalha no comércio continuar com hábitos antigos, como deixar o veículo em ruas e avenidas laterais, optar por caronas e recolher veículos dentro dos próprios pátios.

“Sabemos que quando a Zona Azul estava em funcionamento muitos comércios disponibilizavam um espaço nos fundos para os funcionários colocarem as motos. Muita gente ida de carona. Por exemplo eu trabalho em uma loja, a pessoa da lanchonete ao lado mora próximo. Se juntavam e iam em um único veículo. Agora não. Cada um usa o seu e ocupa a vaga que é do cliente, que não consegue chegar e parar”, ressaltou Dianês.

E AGORA??? Falta de vagas para estacionar espanta consumidores. Saiba porque isso acontece em Umuarama
Diretora da Umutrans, Dianês Piffer: o espaço público é o mesmo com ou sem estacionamento rotativo pago

E a Zona Azul, quando volta?

Segundo o procurador jurídico da Prefeitura de Umuarama, Heber Lepre, a expectativa é que em até 90 dias esteja concluído o processo licitatório para a contratação de uma empresa que fará a gestão do estacionamento rotativo.

“Tivemos alguns questionamentos no primeiro edital. Alguns eram improcedentes, mas haviam pontos pertinentes que usamos para aperfeiçoar um novo edital que deve ser publicado já na próxima semana”, explicou o procurador.

Segundo Lepre, a principal mudança será a forma de arrecadação pela empresa contratante. “A empresa vencedora vai faturar pela venda de cartões e não sobre as notificações. Não haverá também a venda casada de cartão com a notificação pelo estacionamento irregular”, afirmou Lepre.

Já as notificações por estacionar irregularmente ficará ao encargo de agentes de trânsito concursadas. “Como são dois processos complexos, o concurso e a licitação, é provável que a Zona Azul volte a funcionar antes, mas neste caso vamos estar atuando com a Guarda Municipal para dar legitimidade”, asseverou.

E AGORA??? Falta de vagas para estacionar espanta consumidores. Saiba porque isso acontece em Umuarama
Procurador Jurídico da Prefeitura de Umuarama, Heber Lepre: Zona Azul retorna no segundo semestre