Região

.

Execução de decisões do TCE-PR será apresentada em evento sobre boas práticas

30/08/2018 09H44

Foto: Wagner Araújo/Divulgação TCE-PR
O trabalho de acompanhamento das decisões do Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) será apresentado no 1º Laboratório de Boas Práticas de Controle Externo. O evento, que será realizado nos dias 3 e 4 de setembro, em Cuiabá, é promovido pelo Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso (TCE-MT), em parceria com a Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil (Atricon) e com apoio da Associação Nacional dos Ministros e Conselheiros Substitutos dos Tribunais de Contas (Audicon).Pelo menos 65 exemplos de boas práticas, executadas por 22 TCs, serão apresentados durante os dois dias do evento. O objetivo é melhorar a eficácia e aperfeiçoar a fiscalização do gasto público por meio do compartilhamento de iniciativas bem-sucedidas, já em execução em tribunais de contas brasileiros. O sistema é formado por 34 cortes de contas – da União, dos Estados, do Distrito Federal e de municípios.As boas práticas foram selecionadas pela Atricon, por meio do Programa Qualidade e Agilidade dos Tribunais de Contas (QATC). Segundo o presidente da Atricon, conselheiro Fábio Filgueiras Nogueira (TCE-PB), que estará em Cuiabá durante o evento, a ideia do 1º Laboratório de Boas Práticas de Controle Externo é compartilhar os exemplos positivos relacionados diretamente às atividades de auditoria e fiscalização, para estimular a eficiência do gasto público, a transparência e o controle social.Na avaliação feita pela Atricon, o trabalho da Coordenadoria de Monitoramento e Execuções (CMEX) do TCE-PR foi reconhecido como referência ao controle externo. A atuação da unidade foi reforçada neste ano, com a reformulação da estrutura e dos métodos de fiscalização empregados pela corte paranaense. Nessa reestruturação, a atividade de monitoramento ganhou ênfase, com o objetivo de ampliar a efetividade do cumprimento das decisões colegiadas do Tribunal.

Serviço Online

No cumprimento de suas atribuições constitucionais, os TCs determinam devolução de recursos públicos, aplicam multas e outras penalidades. Para garantir a efetividade dessas decisões, os órgãos de controle mantêm estruturas responsáveis pelos atos processuais posteriores ao trânsito em julgado das decisões colegiadas, quando não cabem mais recursos no âmbito administrativo. Essas unidades realizam o registro dos julgamentos, o controle e o acompanhamento de sanções, determinações e recomendações.Uma série de iniciativas adotadas nos últimos anos transformou o TCE-PR em modelo na execução das decisões. Entre elas destacam-se o acompanhamento regionalizado; a oferta de serviços online aos jurisdicionados para o acesso imediato às informações; o monitoramento permanente das ações de execução judicial das certidões de débito relativas a sanções financeiras; a atualização do banco de dados e a uniformização de procedimentos.