Umuarama

Saúde

Entenda porque consumir vitaminas em excesso pode te deixar doente

24/08/2020 08H25

Se você está com medo de pegar o coronavírus e acredita que vai ficar aumentar a sua imunidade consumindo suplementos vitamínicos, cuidado!

Além de não existir até o momento qualquer estudo científico que comprove essa teoria, você corre o risco de ter comprometimentos sérios na sua saúde, com o que médicos e nutricionistas chamam de hipervitaminose, que é o excesso de vitaminas no organismo. Ou seja, seu corpo tem tanta que te faz mal.

VITAMINAS

“Não é porque é natural que pode consumir sem se preocupar”, alerta a nutricionista Fernanda Cardoso. Ela salienta que o consumo de suplementos e de vitaminas deve ser feito com um acompanhamento profissional e que nem todos precisam.

Segundo a médica Carla Dalponte o ser humano têm duas formas de imunidade. A inata, com a qual nascemos e é reforçada pelo aleitamento materno e está diretamente ligada a herança genética e a adquirida, decorrente de hábitos diários e do estilo de vida, que engloba vacinas, alimentação, sono, nível de stress, entre outros fatores.

“Não basta consumir vitaminas e complexos vitamínicos para garantir uma boa imunidade. É a nossa rotina e hábitos de vida que vão contar”, salientou a médica.

EXEMPLOS

“É comum as pessoas terem falta de vitamina D por causa da pouca exposição ao sol, principalmente, mas somente após exames é que se poderá saber se a pessoa vai precisar consumir essa vitamina uma ou duas vezes por semana, todos os dias, uma vez ao mês. Vai depender de cada caso”, explicou a nutricionista Fernanda Cardoso.

Ter muita vitamina D pode levar ao excesso de cálcio no organismo. Esse cálcio que ‘sobra’ e não é absorvido pelos ossos pode calcificar em outras partes do corpo, como nos rins, causando os famosos cálculos renais.

VITAMINA C

Quando o assunto é prevenir a gripe, sempre tem alguém com uma receitinha na ponta da língua: “Toma vitamina C” e tá tudo resolvido. Não é bem assim alertam os especialistas!

Tem que haver um equilíbrio e Fernanda faz uma alerta: essa vitamina potencializa a absorção de ferro no organismo que em excesso deixa o sangue ‘mais grosso’ e dificulta a circulação sanguínea. “A pessoa passa a ter fadiga, se sentir mal e pode estar andando na rua e ter um AVC ou mesmo um infarto, em situações mais graves”, salientou.

ALIMENTAÇÃO NATURAL

A nutricionista é defensora da volta as origens quando se trata de cuidar da saúde, com respeito a algumas regras como: comida saudável, prática de atividades físicas, sono na medida certa, vida sem stress, ou seja, práticas que nos levam a um equilíbrio do organismo.

ABSORÇÃO

A nutricionista ainda fez uma ressalva no consumo de suplementos vitamínicos e que o melhor é a comida natural. “Entre uma cápsula de polivitamínico e um prato de salada colorido, fique com a salada. O nosso corpo é uma máquina perfeita. Ele vai absorver três vezes mais os nutrientes da salada do que da vitamina industrializada, que muitas vezes nosso organismo nem reconhece”, afirmou.

Não cuidar de doenças preexistentes pode agravar casos de Covid19

O medo de se contaminar pelo coronavírus têm levado pacientes de doenças graves como diabetes, pressão alta e problemas cardíacos a interromperem o tratamento. A ação pode trazer consequências sérias, garantem os médicos.

“Quando o paciente tem uma comorbidade e contrai o coronavírus, ele chega com um quadro da doença preexistente descompensado o que agrava o quadro do Covid19”, explicou. “Mais importante que consumir vitaminas parar aumentar a imunidade é cuidar de doenças como o diabetes e a pressão alta”, salientou a médica Carla Dalponte. Ela tem atuado desde o início da pandemia do coronavírus no tratamento direto dos pacientes positivados junto ao hospital Uopeccan.