Colunistas

Operação Smurfing

Empresária umuaramense é presa em operação nacional contra o narcotráfico

18/03/2022 08H23

Jornal Ilustrado

Uma empresária umuaramense de 30 anos foi presa na manhã de ontem (17) em um braço da Operação Smurfing, desencadeada pela Polícia Civil de Pernambuco em 16 estados da Federação contra o narcotráfico e a lavagem de dinheiro.

Contra o marido da empresária também há um mandado de prisão. Como ele não foi encontrado na cidade é considerado foragido pela Justiça. Em Umuarama também foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão em empresas e residências. O resultado final da operação será divulgado nesta sexta-feira (18) pela Polícia Civil pernambucana.

Alvos

Segundo o Chefe da Polícia Civil de Pernambuco, delegado Nehemias Falcão, o perfil dos alvos da operação são os destinatários finais dos recursos oriundos do tráfico de drogas. “Muitos não têm antecedentes criminais, são empresários, autônomos, gente comum que se beneficia pela lavagem de dinheiro. Não é o traficante pequeno da ponta”, afirmou.

Dinheiro

O policial salientou que apenas de um único alvo foi bloqueado R$ 8 milhões que estava em conta corrente. “Não tenho como afirmar que esse alvo era o chefe. Ele tinha esse valor em sua conta, mas há outros beneficiários maiores”, salientou Falcão.

No total foram bloqueados R$ 1,8 bilhão em ativos financeiros dos membros da organização criminosa. Também foram sequestrados 51 propriedades entre rurais, urbanas, residenciais e comerciais e um helicóptero avaliado em R$ 5 milhões entre os R$ 11,9 milhões em veículos apreendidos.

O início

A ação deflagrada ontem é o resultado de três anos de investigação e da apuração do caminho seguido pelo dinheiro do tráfico. “Essa é a maior e mais abrangente operação de repressão qualificada de sua história já realizada pela Polícia Civil do Pernambuco”, salientou Falcão.

Ele relatou que os alvos são operadores financeiros e beneficiários final do tráfico. “Os investigados abriam empresas, adquiriam veículos e imóveis para tentar dar um caráter lícito aos recursos ilícitos”, explicou o chefe da Polícia Civil pernambucana.

Mandados

Ontem 400 policiais civil tinham por objetivo cumprir 75 mandados de prisão e 45 de busca e apreensão, sequestro de bens e bloqueio de ativos em 16 Estados (Rio Grande do Norte, Amazonas, Piauí, Maranhão, Roraima, Rondônia, Mato Grosso, Mato Grosso Do Sul, Goiás, Paraná, Alagoas, São Paulo, Acre, Minas Gerais e Bahia).

Durante os cumprimentos de mandados, foram apreendidas armas, documentos e outros bens.

Smurfing

Denominada Smurfing, a operação partiu de uma investigação que era realizada a partir de uma organização criminosa de Ipojuca, no Grande Recife, desde novembro de 2018.

Segundo a Polícia Civil, foram identificados “braços” financeiros e operacionais da organização criminosa em vários locais do país.

As apurações, ainda de acordo com a corporação, revelaram uma relação dos envolvidos com investigados na Bolívia, sobretudo alvos residentes na região de fronteira. As informações indicaram que a região é, provavelmente, uma das rotas pelas quais drogas ilícitas com origem boliviana entram no país.

Smurfing é uma tipificação de lavagem de dinheiro, que consiste no fracionamento de uma grande quantia em pequenos valores, de modo a escapar do controle administrativo, camuflando assim transferências e operações financeiras.

Todos os mandados foram emitidos pela Vara Criminal de Ipojuca, no Grande Recife. Em Mato Grosso, foram 30 mandados de prisão cumpridos e uma pista clandestina de pouso foi identificada em uma fazenda em Comodoro, onde também foram apreendidas armas de fogo e munições.